Universa

Parece tripas e sangue, mas é só comida; conheça truques da TV e do cinema

Divulgação
Uma Thurman em cena de "Kill Bill: Volume 1"; sangue feito de corante vermelho, mel e glicose de milho Imagem: Divulgação

Marcelo Testoni

Colaboração para o UOL

24/01/2018 04h00

Misturados ou não, ingredientes de cozinha geram efeitos impressionantes diante das câmeras, seja no cinema ou na TV. Assim, os atores e dublês evitam riscos desnecessários à própria saúde e você assiste às cenas tão convencido que nem percebe os truques de produção. Confira alguns.

Sangue

Só no filme “Kill Bill”, do cineasta Quentin Tarantino, mais de 1.700 litros de “plasma” foram produzidos. Tamanha sanguinolência partiu de uma mistura simples e comestível de corante vermelho, mel e glicose de milho. A fórmula é copiada até hoje, mas, para infelicidade dos atores, não é tão deliciosa quanto a do sangue do cinema em preto e branco, cujo ingrediente principal era chocolate, que dava um aspecto bem real aos filmes de terror.

Veja também:

Uísque

Tanto no filme “Encontros e Desencontros”, de Sofia Coppola, quanto na série “Mad Men”, os ingredientes que foram usados para encenar a bebida foram basicamente dois: chá-mate com pedras de gelo ou guaraná sem gás (usado para agradar os atores descontentes com o sabor amargo da erva). Para clarear ou escurecer o drinque, um toque de suco de laranja.

Cocaína

A aparência e a textura do pó branco cheirado em filmes como “Pulp Ficton” e “Medo e Delírio”, por exemplo, são recriadas com leite em pó. No entanto, o ingrediente não é tão inofensivo assim. Além de ter potencial para provocar crises de espirro, alergias e entupimentos de vias nasais, se aspirado em grandes quantidades, o leite em pó pode matar por asfixia.

Vinho

Se os elencos do filme “O Poderoso Chefão” e da série “Game of Thrones” bebessem todas as jarras e taças de vinho que aparecem, nos momentos de comemoração e assassinatos, terminariam as gravações alcoólatras. Para contornar essa situação, a solução encontrada pelos produtores foi simular a bebida com suco de uva ou uma receita de água, gelo e corante químico. Segundo a atriz Sophie Turner, a princesa Sansa Stark de “Games of Thrones”, o sabor não agrada.

Cigarros

Como há proibição de publicidade e restrições legais, a indústria de entretenimento precisa recorrer a alternativas. No filme “Sem Escalas”, no lugar do tabaco, foram enroladas, em papel de seda, ervas inofensivas como sálvia, hortelã e camomila. Já para recriar a maconha de séries de TV como “Disjointed” e “High Maintenance”, orégano e salsa desintegrada não faltaram para rechear os “baseados”.

Reprodução
Sopa de ervilha com aveia simulou o vômito verde que aparece na primeira versão de "O Exorcista" (1973) Imagem: Reprodução

Vômito

Para cada tipo de cor e textura, uma sopa de ingrediente diferente. Na primeira versão do filme “O Exorcista” (1973), o líquido verde e gosmento expelido pela possuída se tratava de sopa de ervilhas e aveia, preparada pela mulher do diretor do filme. Já nos filmes “A Escolha Perfeita” e “Eu te Amo, Cara”, os jatos de vômito não passavam de caldo de tomate com cenoura, sendo lançado de mangueiras escondidas atrás dos atores.

Comprimidos

Da clássica e inocente cena de “Dennis, o Pimentinha”, lançando aspirinas na boca do senhor Wilson, à série “:Dryvrs”, recheada de pílulas alucinógenas tomadas por Macaulay Culkin, o que não faltou foi farinha. Para quem não sabe, o ingrediente é o mais usado para simular comprimidos, de todos os tipos. O trabalho é tão caprichado, que são copiados até sinais e letras grafados nas drogas.

Reprodução/IMDB
Os atores Jeff Goldblum e Geena Davis em cena do filme "A Mosca", de 1986 Imagem: Reprodução/IMDB

Tripas à mostra

Em filmes com cadáveres mutilados, tipo “Alien” e “Hannibal”, a gelatina é o item que melhor simula feridas, cicatrizes e órgãos à mostra. Aplicada morna sobre buracos abertos de mentirinha na pele dos atores, ela permite ser moldada e, após se solidificar, pode ser maquiada com groselha, além de pós e bases líquidas de diversas cores. É possível usar ainda linguiça, carne moída e até melancia, que serve para criar efeitos de cabeças explodidas.

Cogumelos

As versões venenosas ou mágicas, mostradas na série “Once Upon a Time” e na trilogia “O Hobbit”, não passam de cogumelos comestíveis congelados, daqueles comprados em bandejinhas de supermercado. O único trabalho das equipes dos estúdios é colocá-los no micro-ondas para descongelar e, depois, pintá-los manualmente com corantes alimentícios.

Bolhas na pele

Nos filmes “A Mosca”, as cenas de bolhas na pele causadas por uma experiência científica desastrosa foram artificialmente criadas com maquiagem e uma mistura de bicarbonato com cereal matinal e água. Enquanto o primeiro ingrediente com água cria um efeito de queimadura química, o cereal umedecido e maquiado repassa a ideia de uma bolha ou inflamação que está prestes a se romper.

Fontes: Marcella Teixeira, maquiadora de cinema e professora de beleza e estética no Senac e os sites IMDB.com, Universalstudios.com, Independent Studio Services e Stan Winston School of Character Arts.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo