Sexo

"Meu marido só goza se masturbando": problema tem nome e solução

iStock
Imagem: iStock

Bárbara Tavares

Do UOL, em São Paulo

17/01/2018 04h00

Há homens que, apesar de sentirem prazer sexual, não conseguem gozar durante a penetração. Eles têm orgasmo, mas só com masturbação, mesmo que acompanhado. Isso significa que masturbação faz mal? Não, mas ela tem a ver com um problema popularmente chamado de "síndrome do punho de ferro" (em inglês, o nome é death grip syndrome).

Leia mais

O problema ocorre quando o homem se masturba de forma sistemática, com movimentos sequenciais, para cima e para baixo e fazendo pressão acentuada no pênis, segundo Giuliano Amorim Aita, coordenador do Departamento de Saúde Sexual da Sociedade Brasileira de Urologia.

"Isso condiciona o cérebro àquele estímulo limitado, à masturbação mais agressiva, compressiva e violenta, e leva o homem a não ter mais sensibilidade fisiológica no órgão sexual", diz o médico.

Mas, calma, não é que o excesso de masturbação provoca o problema. "Não existe a destruição das terminações nervosas, mas uma adaptação, um condicionamento da sensibilidade, que pode trazer dificuldades em termos de satisfação sexual, já que o estímulo que ocorre na genitália durante o ato sexual é muito mais suave, é de fricção e não de compressão. É uma condição clínica, não uma doença", esclarece.

iStock
Imagem: iStock

Ela conta

"Sou casada há 8 anos e sempre tive uma vida sexual saudável. Há pouco mais de dois anos, meu marido começou a ter dificuldades de ejacular comigo, só chegava lá se masturbando", conta Juliana*, de 36 anos. Ela conta que, no começo, relacionou a dificuldade do marido à recente gestação.

"Eu tinha acabado de ter nosso filho e não me considerava muito 'desejável'. Mas passou, voltei ao meu corpo normal, e nada. Comecei a criar mil paranoias. Muitas negativas e 'não é nada' depois, ele resolveu se abrir comigo: disse que durante a gravidez tinha medo de me machucar e tinha desenvolvido quase uma receita para gozar rápido, se masturbando rápido e com força. Ali entendi que precisávamos de ajuda".

Tratamento faz efeito em poucos meses

O tratamento indicado é com acompanhamento médico especializado. Procurar um urologista é o primeiro passo, e ele poderá fazer os encaminhamentos necessários, como terapia ou uma consulta com um psiquiatra.

"Masturbação é saudável, mas se torna nociva quando o homem não consegue mais atingir o orgasmo durante a relação sexual e necessita da masturbação agressiva para isso", diz Giuliano. 

O tratamento é uma readaptação do corpo aos estímulos sexuais normais. O excesso de masturbação causa ejaculação retardada, impossibilita alcançar o orgasmo e causa, indiretamente, problemas psicológicos que podem levar à disfunção erétil.

"A orientação é a suspensão temporariamente a masturbação, desfocar do prazer sexual individual. Muitas vezes, são indivíduos ansiosos que também precisam de acompanhamento psicológico ou tratamento psiquiátrico para controlar isso. A compressão exagerada –quando o indivíduo precisa ejacular rápido, às vezes por medo de ser pego–, leva a um estímulo acentuado e repetido no pênis, um círculo vicioso que precisa ser quebrado".

O tempo de tratamento é relativo, cada caso é um caso, mas em geral os pacientes conseguem recuperar a sensibilidade em poucos meses"

iStock
Imagem: iStock

As siglas usadas por eles: DE, ER, PMO

Não entendeu nada dos termos acima? Explicamos. São siglas usadas por homens que se identificam como viciados em masturbação e compartilham suas histórias em fóruns on-line, quase como um grupo de autoajuda: DE significa Disfunção Erétil; ER, Ejaculação Retardada e PMO é Pornografia, Masturbação, Orgasmo. 

"Eu me masturbo desde adolescente e sempre tive dificuldade de chegar ao orgasmo com minhas parceiras, mas nunca tinha relacionado uma coisa à outra. Foi depois de começar a namorar que descobrimos o 'problema' e decidimos ir ao médico", conta Caio*, 25 anos.

O médico diagnosticou com a síndrome do punho de ferro e recomendou que Caio fizesse vários tipos de tratamento, incluindo escrever um diário em um fórum na internet.

"Lá as pessoas compartilham experiências similares. Isso me ajudou muito. Estou há quase quatro meses sem me masturbar e, aos poucos, recuperando minha sensibilidade. Já tive alguns orgasmos com ela, com penetração e sexo oral, e quase não tenho mais dificuldades em manter a ereção por bastante tempo".

* Os nomes foram trocados à pedido dos entrevistados

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Da Universa
Da Universa
Blog da Regina
Da Universa
Blog da Regina
Da Universa
Da Universa
Blog Deu Match
Da Universa
Blog Deu Match
Da Universa
Mayumi Sato
Da Universa
Blog Deu Match
Blog da Regina
Da Universa
Blog Deu Match
Da Universa
Da Universa
Blog da Regina
Blog Deu Match
Mayumi Sato
Blog da Regina
Blog Deu Match
Blog da Regina
Da Universa
Da Universa
Blog da Regina
Da Universa
Da Universa
BBC
Blog da Regina
Da Universa
Da Universa
Blog Deu Match
Da Universa
Blog Deu Match
Blog da Regina
Da Universa
BBC
do UOL
Blog da Regina
Blog da Regina
Da Universa
Mayumi Sato
Blog Deu Match
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Blog da Regina
Blog Deu Match
Topo