Universa

#TimesUp: Atrizes brasileiras manifestam apoio ao movimento contra assédio

Divulgação
O pin da campanha Time's Up se tornará símbolo da manifestação das atrizes contra o assédio Imagem: Divulgação

do UOL

07/01/2018 18h52

Depois das inúmeras denúncias de assédio em Hollywood em 2017, as atrizes norte-americanas decidiram dar um basta no assunto e criaram o movimento Time´s Up. Na cerimônia do Globo de Ouro neste domingo, elas vão todas de preto como forma de protesto. E as brasileiras, mesmo de longe, também estão participando do movimento, demonstrando seu apoio nas redes sociais.

Camila Pitanga, Alice Wegmann, Maria Calara Spinelli e Julia Konrad são algumas das que já fizera publicações em apoio às colegas dos Estados Unidos. "É com muita alegria e esperança que acompanho essa proliferação de coletivos de atrizes, com um olhar humano para a sociedade. Seja no Brasil, com o #MexeuComUmaMexeuComTodas, nos Estados Unidos, com o #TimesUp, ou na Malásia, com a criação do grupo Women in Cinema Collective (WCC)", escreveu Camila Pitanga em seu Instagram. 

Veja mais

Em maio de 2017, o Brasil viu um movimento parecido ganhar força quando veio à tona uma denúncia de assédio da figurinista Su Tonani contra o José Mayer. Atrizes da Globo se uniram em apoio à colega com a campanha Mexeu com uma, mexeu com todas e pressionaram a emissora para o afastamento do ator.  

 

Nos últimos dias tenho acompanhado de perto o #TimesUp, coletivo de atrizes americanas criado para combater qualquer tipo de abuso de poder - seja ele caracterizado na forma de abuso de cunho sexual, racial, opressão e marginalização, falta de representação e qualquer tipo de desigualdade. . Hoje, aproveitando a cerimonia do Globo de Ouro, que acontece em Los Angeles, as atrizes cruzarão o tapete vermelho usando preto, para demonstrar apoio às vítimas de abuso. A campanha “On Sunday We Wear Black” (No Domingo Nós Vestimos Preto) pede para que qualquer pessoa, independente de quem seja e de onde esteja, vista preto em solidariedade a mulheres e homens que foram silenciados por discriminação, abuso ou assédio. . É com muita alegria e esperança que acompanho essa proliferação de coletivos de atrizes, com um olhar humano para a sociedade. Seja no Brasil, com o #MexeuComUmaMexeuComTodas, nos Estados Unidos, com o #TimesUp, ou na Malásia, com a criação do grupo Women in Cinema Collective (WCC).

Uma publicação compartilhada por Camila Pitanga (@caiapitanga)

 

 

 

em

 

#MarilynMonroe (@marilynmonroe) at the #GoldenGlobes (@goldenglobes), #1962. (By @oldhollywoodfans) . . @reesewitherspoon: TODAY is the day! #TIMESUP (@timesupnow) #WhyWeWearBlack @goldenglobes . . @caiapitanga: Nos últimos dias tenho acompanhado de perto o #TimesUp, coletivo de atrizes americanas criado para combater qualquer tipo de abuso de poder - seja ele caracterizado na forma de abuso de cunho sexual, racial, opressão e marginalização, falta de representação e qualquer tipo de desigualdade. . Hoje, aproveitando a cerimonia do Globo de Ouro, que acontece em Los Angeles, as atrizes cruzarão o tapete vermelho usando preto, para demonstrar apoio às vítimas de abuso. A campanha “On Sunday We Wear Black” (No Domingo Nós Vestimos Preto) pede para que qualquer pessoa, independente de quem seja e de onde esteja, vista preto em solidariedade a mulheres e homens que foram silenciados por discriminação, abuso ou assédio. . É com muita alegria e esperança que acompanho essa proliferação de coletivos de atrizes, com um olhar humano para a sociedade. Seja no Brasil, com o #MexeuComUmaMexeuComTodas, nos Estados Unidos, com o #TimesUp, ou na Malásia, com a criação do grupo Women in Cinema Collective (WCC).

Uma publicação compartilhada por Maria Clara Spinelli (@mariaclaraspinelli)

 

 

 

em

 

TIME'S UP. No domingo, nós vestimos preto. #Repost @caiapitanga ??? Nos últimos dias tenho acompanhado de perto o #TimesUp, coletivo de atrizes americanas criado para combater qualquer tipo de abuso de poder - seja ele caracterizado na forma de abuso de cunho sexual, racial, opressão e marginalização, falta de representação e qualquer tipo de desigualdade. . Hoje, aproveitando a cerimonia do Globo de Ouro, que acontece em Los Angeles, as atrizes cruzarão o tapete vermelho usando preto, para demonstrar apoio às vítimas de abuso. A campanha “On Sunday We Wear Black” (No Domingo Nós Vestimos Preto) pede para que qualquer pessoa, independente de quem seja e de onde esteja, vista preto em solidariedade a mulheres e homens que foram silenciados por discriminação, abuso ou assédio. . É com muita alegria e esperança que acompanho essa proliferação de coletivos de atrizes, com um olhar humano para a sociedade. Seja no Brasil, com o #MexeuComUmaMexeuComTodas, nos Estados Unidos, com o #TimesUp, ou na Malásia, com a criação do grupo Women in Cinema Collective (WCC).

Uma publicação compartilhada por Julia Konrad (@juliakonrad)

 

 

 

em

 

ON SUNDAY WE WEAR BLACK CONTRA O ASSÉDIO #MexeuComUmaMexeuComTodas #TimesUp

Uma publicação compartilhada por Alice Wegmann (@alice.weg)

 

 

 

em

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo