menu
Topo

Sexo

Orgasmo cervical: o que você precisa saber sobre prazer no colo do útero

Getty Images
Imagem: Getty Images

Carolina Prado

Colaboração para o UOL

05/01/2018 04h00

O orgasmo cervical pode demorar um pouco mais para chegar, mas, quando vem, é uma explosão de sensações. Ele acontece no cérvix, região do colo uterino. Porém, para atingi-lo, é bom saber alguns fatos e macetes. 

Veja também

1. Muito prazer, orgasmo cervical

Ele acontece com a estimulação do cérvix, que se encontra no final da vagina, próximo ao colo do útero (e até no colo do útero). “O orgasmo em si é sentido por todo o corpo e não apenas por uma parte dele. O cérvix é apenas a área a ser estimulada para que se chegue lá”, conta a sexóloga Marcelle Paganini.

2. Qualquer mulher pode experimentá-lo

Não existe um clubinho restrito, qualquer mulher pode ter o orgasmo cervical, desde que se conheça bem e saiba o que fazer para chegar lá. O parceiro também faz toda diferença nessa hora. Se for do tipo apressadinho, por exemplo, dificilmente a mulher consegue atingir algum orgasmo diferente do clitoriano.

3. Na medida certa

Para chegar ao orgasmo cervical, é importante que a mulher esteja excitada e relaxada. Daí, durante o sexo, a estimulação do cérvix deve ser lenta e constante. Segundo Cátia Damasceno, especialista em sexualidade, a compatibilidade do casal faz diferença. “Se o pênis for muito grande, vai bater no colo do útero e, em vez de ser um estímulo prazeroso, será doloroso. Já se o pênis for menor e o canal da vagina mais profundo, dificilmente esse orgasmo irá acontecer, pois não vai ter uma estimulação da região”, conta.

4. Será que é?

Algumas mulheres relatam que sentem algo mais relaxante. Mas pode haver dúvidas na hora H se foi realmente o orgasmo cervical ou clitoriano. “Uma maneira de tentar descobrir é saber onde houve o desencadeamento do orgasmo durante o sexo. Dependendo da posição ou do tipo de relação, pode haver mais contato com o colo do útero com a região cervical”, explica Jairo Iavelberg, ginecologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

5. Penetração profunda ajuda

Como o cérvix fica bem no final do canal vaginal, uma posição que permita a penetração profunda vai facilitar este orgasmo, como de quatro ou a mulher por cima. Estas posições favorecem o maior contato do pênis com o colo do útero.

6. Não é só o pênis grande que tem vez

Um pênis não muito grande pode alcançar o colo do útero com penetração profunda, como já mencionamos. Agora, para não haver desconforto com o pênis grande, é preciso pensar em outra posição. “Se o parceiro tiver o pênis muito grande, a melhor posição é de lado, porque aí o ângulo do corpo da mulher consegue controlar a penetração e torná-la mais ‘rasa’, para não machucar”, conta Cátia Damasceno.

7. Prazer em dose dupla

É possível ter orgasmo cervical e clitoriano ao mesmo tempo. Mas isso vai depender bastante da sensibilidade da mulher e do grau de estímulo adequado, segundo Iavelberg. “Se ela for bem estimulada, receber a quantidade necessária de contato, de carícia durante a relação, dependendo daquilo que é necessário para chegar ao estímulo e deflagrar o orgasmo, ele pode ser múltiplo, sim”. 

8. Vibrador também dá aquela força

Sim, é possível chegar lá com um vibrador, desde que ele alcance o cérvix e a quantidade de estímulo for adequada --além da sensibilidade da mulher estar aguçada. Porém, segundo Marcelle Paganini, é importante não ligar a função de vibração. “A ideia é estimular a área apenas com o contato. Caso contrário, pela própria anatomia do clitóris, o orgasmo acaba sendo clitoriano”, explica a sexóloga.

9. Não é igual para todas

Algumas mulheres têm mais facilidade para atingir o orgasmo pela estimulação do clitóris. Outras, pela penetração vaginal ou estimulação do cérvix. “Minha dica, então, é que experimentem e descubram as várias formas e qual parte do corpo responde mais”, sugere Cátia. Não faz mal algum tentar, né?

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!