menu
Topo

Sexo

Vibrador: mitos e verdades sobre o brinquedo erótico

Getty Images
Imagem: Getty Images

Carolina Prado

Colaboração com o UOL

02/01/2018 04h00

Não podia estar mais errado quem acha que o uso frequente do vibrador reduz a sensibilidade da mulher. Essa afirmação, ainda que comum, não passa de um mito.

A verdade é: mulheres que usam o brinquedinho têm maior índice de satisfação sexual. Entenda quais são as verdades e os mitos em torno dos sex toys.

Vibrador tem ritmo mais intenso que as mãos

Verdade. O vibrador produz um estímulo mais intenso do que o produzido pelas mãos e, por isso, quem se masturba só com o aparelho, ao fazer o trabalho manual, pode demorar mais para chegar ao orgasmo. Mas é apenas falta de costume. A recomendação, portanto, é variar no prazer solo, até para conhecer outros pontos erógenos, capazes de trazer outras sensações.

Ele auxilia na localização de zonas erógenas

Verdade. Uma das grandes vantagens do uso do vibrador é que ele dá a possibilidade de a mulher conhecer seu corpo e descobrir as áreas que mais lhe dão prazer. Inclusive em novos relacionamentos. "É quando podemos demorar mais para atingir o orgasmo, porque ambos estão se conhecendo. Mas se a mulher sabe onde gosta de ser estimulada acelera esse caminho, ao orientar o par", diz a ginecologista Marianna Assumpção.

Veja também

Ajuda nos sintomas da menopausa

Verdade. Segundo a ginecologista Cristina Carneiro, o vibrador pode ser usado em exercícios pélvicos, orientados por fisioterapeutas especializados, para fortalecer os músculos da região. Além disso, um estudo conduzido na Universidade de Yale, nos Estados Unidos, demonstrou que o uso frequente do sex toy aumenta o fluxo sanguíneo e a lubrificação vaginal, diminuindo a atrofia da vagina e outros sintomas comuns da menopausa.

Usar demais causa perda de sensibilidade

Mito. Na dúvida se está usando o vibrador além da conta, basta prestar atenção em sintomas locais persistentes, como inchaço, dormência, irritação e dor – que deveriam durar, no máximo, uma hora após o uso do aparelho de forma intensa. Se é o caso, dê um tempo no brinquedo. Outra maneira de perceber se está excedendo no uso é ver se ele está causando dependência psicológica. Sinal de alerta se começar a trocar outros programas para ficar só com o vibrador. Ou ainda, só conseguir gozar com ele.

Gestantes não podem usar

Mito. É comum que gestantes tenham medo de usar o vibrador, mas, segundo Cristina Carneiro, não há problema se a gestação for normal e o brinquedo for bem higienizado. Mas é preciso fazer movimentos gentis, já que o aparelho é fabricado com material mais duro que o pênis, muitas vezes. "Só está contraindicado o uso nos mesmos casos em que estão contraindicadas as relações sexuais na gestação: ameaça de aborto, placenta prévia (placenta baixa), trabalho de parto prematuro ou risco do mesmo e contrações frequentes", alerta a ginecologista.

Falta de limpeza traz riscos de DST

Verdade. É importante manter uma boa higiene do produto. Lave com sabão neutro e água morna antes e depois de usar. Seque tudo com pano limpo e sem fiapos - nunca use toalhas de papel ou panos de algodão. Por fim, jamais compartilhe seu vibrador com outra pessoa, para evitar o risco de contrair uma doença sexualmente transmissível. Se quiser trocar entre você e o par, utilize com preservativo.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!