menu
Topo

Universa

O que fazer para evitar o stress do seu pet durante queima de fogos

Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Do UOL, em São Paulo

31/12/2017 13h35

Animais domésticos, especialmente gatos e cachorros, costumam ficar agitados durante a queima de fogos para a virada do ano. A sensibilidade auditiva de bichos de estimação é diferente da que temos, e até casos em que eles chegam até mesmo a entrar em desespero e morrer com a pirotecnia.

Segundo veterinários, porém, há maneiras para tentar diminuir o estresse dos bichinhos na celebração. Saiba como:

Sinais: fique atento

Observe a reação do seu pet. Se ele começar a salivar excessivamente, latir sem parar, balançar as orelhas para trás, arregalar os olhos, se curvar ou buscar lugares escuros, é sinal de que ele está sofrendo com o barulho. É bem possível que, neste momento, gato e cachorro busquem segurança em você, geralmente “roçando” na região das pernas ou tentando chamar atenção de alguma maneira. Outra reação é disparar para debaixo da cama ou outro móvel. Fique atento, e não ignore seu bicho de estimação neste momento. 

Veja também

O que fazer durante a queima?

Mantenha-o dentro de casa ou em um lugar onde ele estará seguro dos perigos até que se encerre a queima. Feche bem cortinas e janelas para abafar o som -- e para evitar que eles saltem pelas janelas ou fujam.

Você também pode colocar algodão e, até, fones de ouvido nas orelhas do animal, mas importante: não deixe a música alta! Também é possível criar um som neutro, um barulho de fundo que disfarce o som dos fogos, como música ou, mesmo, o ruído de um ventilador ligado. Mesmo com os cuidados, ele ainda pode escapar da casa.

Antes da virada, é preferível colocar uma coleira com a identificação do animal em caso de fuga. Mas, saiba: acorrentar o bichinho durante o processo pode causar sérios danos físicos a ele. 

Por último, vale a velha dica de oferecer um petisco gostoso e não usual ao animal, como um presente, e tentar distraí-lo com alguma brincadeira. Mas se ele não quiser, não insista.

Casos extremos

Para cães muito assustados há terapias comportamentais. Elas podem ajudar o bicho a suportar o intenso barulho e o estresse decorrente, mas o processo exige um pouquinho de paciência dos donos, pois são extensos. Consulte o seu veterinário.

Cidades e artistas evitam fogos

 
O quadrinista Mauricio de Souza, criador da "Turma da Mônica", usou as redes sociais para alertar o cancelamento da queima que faria em Caçapava (SP). 
 
 
Fontes: Carolina Rocha, veterinária especialista em comportamento animal, e Rosangela Ribeiro Gebara, gerente de programas veterinários da WSPA – World Animal Protection.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa