menu
Topo

Sexo

Que tal colocar em prática essas 8 resoluções sexuais em 2018?

iStock
Imagem: iStock

Heloísa Noronha

Colaboração para o UOL

27/12/2017 04h00

Na sua lista de planos para o ano que vem não podem faltar decisões positivas relacionadas à sexualidade. Com essas sugestões, com certeza você vai transar mais e melhor nos próximos meses:

Leia mais

Transar só quando tiver vontade

Sexo bom é sexo que rola quando a gente está super a fim. Assim, nada de transar por obrigação, achando que isso mantém o par preso a você ou impede a pessoa de pular a cerca. Evite, também, tentar entrar no clima se estiver com muito cansaço ou sem cabeça para isso. Às vezes, até funciona, mas se você começar e perceber que não está sendo bom, deixe para outro momento. Respeite mais seus limites em 2018.

Pedir o que quer na cama

Por maior que seja a cumplicidade e o vínculo, nem sempre o parceiro é capaz de decifrar seus gemidos e sussurros. Se você quer algo -- sexo oral, uma pegada mais forte ou uma lambida em determinado lugar -- use as palavras e peça.

Experimentar coisas diferentes

Seja o primeiro vibrador da sua vida ou mais recente modelo hi-tech do mercado, inclua novidades relativas a sexo em sua vida. Nem precisa passar pela porta de um sex shop ou fazer algo radical, como participar de uma orgia tântrica no Himalaia. Mudar a perna um tantinho mais para a direita naquela posição certeira de sempre já pode ter um efeito incrível. Ou trocar de ambiente na hora de transar, soltar um palavrão na hora H nunca antes proferido, jogar um lenço colorido sobre o abajur… Se joga.

Não subestimar o poder das preliminares

Uma boa sessão de carícias não só ajuda a entrar no clima como permite que os envolvidos se conheçam melhor, identificando os pontos mais sensíveis no corpo um do outro. Além disso, fisiologicamente falando, ainda fazem com que o corpo todo fique a ponto de bala e permita que a penetração seja mais confortável -- e o orgasmo, mais intenso.

Fazer uma rapidinha de vez em quando

Em certos momentos da vida, infelizmente não vamos ter todo o tempo do mundo para explorar o corpo do par como queremos. Uma rapidinha bem dada pode ser a solução para se conectar intimamente com alguém e obter diversão vapt-vupt. Isso sem contar nas situações não planejadas -- festas, baladas etc. -- que, se não houver nenhum tipo de empecilho ou possíveis problemas com a lei, vale a pena deixar rolar.

Eliminar a voz repressora que de vez em quando ocupa a sua mente

Essa voz pode ter vários donos: sua mãe, seu pai, a avó, a professora do jardim da infância, os amigos, ex etc. Não importa. É hora de se livrar de qualquer ideia, conceito, mito ou crença que tenha preconceito ou julgamento e que venha interferindo na sua sexualidade e limitando o seu prazer. Abstraia.

Livrar-se da pressão de ter que gozar sempre

Não, não é necessário, viu? Nem é saudável ficar pensando nisso o tempo todo. Quanto maior a ansiedade em atingir o orgasmo, mais complicado isso fica. E o que acontece durante o sexo é tão ou mais importante do que a finalidade em si.

Amar o corpo que você tem

Isso significa parar de se comparar com outras pessoas -- principalmente celebridades e “influenciadores digitais” que vivem da imagem e que contam com mil recursos para valorizarem a aparência -- e acender a luz, viu? Fuja da pressão de ser refém de padrões irreais. Sexo não tem nada a ver com forma física, mas com suor, pele, fluidos, troca de energia e experiência. Liberte-se e aproveite para curtir um 2018 sexualmente lindo e poderoso.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!