menu
Topo

Sexo

Como escolher e usar a cinta peniana e outras respostas sobre o acessório

iStock
Cinta peniana pode ser usada em homens e mulheres Imagem: iStock

Carolina Prado

Colaboração para o UOL

22/12/2017 04h00

Ao contrário do que muita gente pensa, a cinta peniana não é usada somente por casais de lésbicas. Casais heterossexuais, livres de tabus e preconceitos, também utilizam o acessório para apimentar a relação. Quer saber como? Respondemos 8 dúvidas sobre este brinquedinho erótico.

Leia também:

Para que ela serve?

A cinta peniana é um brinquedo erótico projetado para a penetração anal e vaginal. Serve para diversificar a brincadeira a dois e também para praticar a inversão de papéis. É eficiente como um prolongador do prazer quando o homem já teve orgasmo, mas a mulher ainda quer mais e o pênis está no período de descanso, por exemplo.

Uma mulher pode usar em um homem?

Claro. A mulher veste a cinta e penetra o ânus do homem, fazendo uma massagem prostática, o que leva a um orgasmo muito intenso. Como qualquer brinquedo erótico, é recomendado que seja usado com preservativo e, no caso da cinta, que seja usado com lubrificante, pois o atrito do material com as partes íntimas podem causar bastante desconforto. 

Faz sentido um homem usar cinta peniana na mulher?

Sim. A cinta pode ser usada caso o homem tenha alguma disfunção erétil, por exemplo, ou, então, se ele já chegou ao orgasmo e a mulher ainda não. Também pode ser usada para fazer dupla penetração sem ter que convidar outro homem para a relação.

Há posições mais confortáveis para usar a cinta?

Qualquer posição que seja normalmente confortável para o casal pode funcionar. Mas a de quatro é mais comum. No início pode haver um incômodo, porque a pessoa que está usando a cinta não tem a sensibilidade e rigidez do pênis natural, o que às vezes faz com que se perca o ritmo e velocidade ideais para o casal. Mas tudo é uma questão de treino e adaptação.

Quais tipos de cinta peniana existem?

Há vários modelos, tamanhos, materiais. Pode ser em couro, nylon, tecido, apenas com prótese, com vibrador, plug, prótese simples ou dupla. Há, ainda, as tipo tanga, em que há uma abertura para fazer o encaixe da prótese, vibrador ou plug, com uma fita que passa no meio das nádegas e vagina. Também existe a tipo lingerie, que simula uma calcinha ou shortinho, bastante procurada por mulheres que não querem deixar a vagina à mostra. A cinta em nylon é uma boa opção para quem quer utilizá-la na água, mas não dura tanto quanto a de couro, que é, no entanto, mais cara.

Como escolher uma cinta peniana?

O casal deve escolher a mais confortável para ambos. Isso implica em seleção de material, do tamanho e da curvatura. A escolha depende da expectativa, fantasia e criatividade do casal, além do investimento financeiro que se quer fazer.

Como higienizar a cinta peniana?

A parte que é introduzida na vagina ou no ânus deve ser limpa antes e depois do uso. A forma de limpar depende do material utilizado, por isso, faça sempre como o fabricante recomenda. Existe em sex shops um spray para limpeza de brinquedos eróticos que facilita a limpeza, sem a necessidade de colocar na água. Em alguns vibradores acoplados à cinta, há compartimentos, como o da pilha, que não podem ser molhados. Caso seja um produto à prova d’água, dá para lavar em água corrente com sabonete líquido neutro e secar com uma toalha limpa. A cinta também deve ser higienizada. O couro, apesar de ser um bom material, não pode ser desinfetado, mas as opções de nylon e tecido são laváveis na máquina.

Quais cuidados se deve ter na manutenção da cinta?

Além de manter sempre higienizada, é bom guardar de maneira que as tiras não fiquem deformadas. Deixe-a em local ventilado, sem exposição ao sol e longe de fontes de calor. Se for um vibrador, retire as pilhas ou bateria após o uso e deixe-as separadas, para não correr o risco de entrar em contato com o acessório (caso elas fiquem danificadas por alguma razão). Armazene em um saquinho de tecido, de preferência de algodão, para que não pegue pó. E preste atenção às substâncias que utiliza, como gel, lubrificante ou óleo, pois estes produtos devem ser compatíveis com o material da cinta para não danificá-la.

FONTES: Gislene Teixeira, pós-graduanda em sexologia, coach de relacionamento e sexualidade e especialista em Capital Erótico. Jivan Pramod, coach de Sexualidade.
 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!