menu
Topo

Universa

Encontros que tinham tudo para dar errado, mas viraram namoro e casamento

Getty Images/iStockphoto
Aquele date errado pode dar muito certo! Imagem: Getty Images/iStockphoto

Gabriela Guimarães

Colaboração com o UOL

18/12/2017 04h00

Sabe aquele encontro falido que, a princípio, leva você a pensar em mudar o número do celular, só para não ter que falar com a pessoa de novo? Então, ele pode ter um final feliz. Veja algumas histórias com reviravoltas dignas de comédia romântica.

Veja também

Beijo ruim

"Estava solteira, nem aí pra nada, quando conheci meu namorado. Fui comprar lentes novas e ele era vendedor na ótica. Eu achei ele interessante, mas não estava muito a fim de ninguém. Quando voltei para casa, mandei mensagem para o WhatsApp da ótica, para chorar desconto nas lentes, porque estavam muito caras. Era ele quem respondia. Começamos a conversar e ele me chamou para sair. Eu sempre dizia que não dava. Até que, depois de umas três negativas, resolvi aceitar. O papo era bom, mas quando nos beijamos, eu detestei. Achei ele muito afobado, beijo ruim. Não via a hora de ir embora. Mas ele ficou no meu pé. Mandava mensagem todo dia, era muito prestativo. Só que eu me sentia sufocada, estava acostumada com a minha liberdade de solteira e com homens que me ignoravam. Chegamos até a discutir, porque ele queria me ver direto. Mas, na verdade, ele estava muito a fim de mim. Fui ficando e me apaixonando aos poucos. Quando saíamos para comemorar dois meses juntos, ele pediu para o garçom trazer as alianças na conta e perguntou se eu queria namorar. Eu chorei horrores e disse ‘sim’. Completamos 1 ano juntos". R.O., 24 anos, jornalista.

Transa sem graça

"Saí com as minhas amigas da faculdade e conheci um cara que me chamou atenção, mas não queria saber de mim – o que me deixou mais interessada, confesso. Mas como eu tinha saído de um relacionamento longo não quis me apressar. Alguns dias depois, na mesma semana, ele pediu meu telefone para uma amiga em comum. Me ligou e saímos. Fui empolgada, mas o primeiro beijo não foi bom. A transa, então, deixou muito a desejar. Foi sem graça! Mas como ele era muito divertido, insisti. Nos casamos e temos uma relação é incrível há quase 20 anos. Ah, e eu estou bem feliz com o beijo e o sexo". C.B., 39 anos, autônoma.

Entre balada errada e assalto

"Nós nos conhecemos pela internet. Foram dois meses conversando até marcar um encontro em uma estação de trem. Conversa vai, conversa vem e eu chamei ele para ir comigo e uns amigos em um bar. Pegamos o ônibus em Santo André (SP) e encontramos o pessoal em São Bernardo do Campo (SP). Mas o bar tinha um clima sinistro, nada romântico – ainda que estivéssemos em turma, não em casal. Foi um encontro bem estranho, na verdade. Mas quando eu achei que não poderia ficar mais esquisito, nós saímos do bar de madrugada e, ao passar em frente a um supermercado, presenciamos um assalto. Não aconteceu nada com a gente, mas ficamos com muito medo. Terminou de quebrar o clima. Achei que nunca mais nos veríamos. Mas, para minha surpresa, uma semana depois ele me chamou pra sair e depois de dois meses ficando, começamos a namorar." Thayna Oliveira, 18 anos, analista de atendimento.

Sentados no meio fio

"A gente se conheceu pelo Facebook e combinamos de nos encontrar depois do trabalho dele, que era fotógrafo de eventos. Eu estava com uns colegas em uma balada próxima à rua Augusta, em São Paulo. Combinamos que ele me avisaria quando chegasse na porta do local. Logo que ele mandou mensagem eu paguei minha comanda e saí, achei que iríamos para outro lugar. Nos cumprimentamos e ficamos um tempo nos perguntando onde iríamos, até que ele disse: ‘Não tenho dinheiro para nada’. Ficamos, então, sentados na calçada, em frente a um bar. Conversamos por quatro horas naquela situação. Em determinado momento eu fiquei um pouco irritada de estar sentada na rua. Aí ele achou que eu era interesseira e o encontro acabou estranho, ele me levou até a estação de metrô e foi embora. Ficamos um tempo sem nos falar, mas ele acabou aparecendo no meu trabalho um dia, pediu desculpas. Três semanas depois, ele me pediu em namoro e eu aceitei". Stephanie Augusto, 23 anos, atriz e modelo.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa