menu
Topo

Universa

Karol Conka denuncia assédio sexual em hotel no Rio: "Tem que respeitar"

Divulgação
Karol Conka Imagem: Divulgação

do UOL, em São Paulo

12/12/2017 11h46

Karol Conka relatou em suas redes sociais nesta segunda, 11, um assédio sexual que testemunhou em um hotel no Rio de Janeiro. A cantora contou que um turista estrangeiro usou termos ofensivos e tocou, sem consentimento, duas mulheres que estavam na área da piscina.

Veja também

De acordo com Karol, diante da falta de providências da gerência do hotel Sheraton, onde estava hospedada para a gravação do programa "Superbonita" do GNT, ela teria partido para a agressão física para defender as duas moças. 

"A gente está aqui no Sheraton curtindo um final de trabalho para chegar esse gringo filho da p*ta, aproveitador, e chamar as meninas de p*ta e passar a mão nelas. É o dia inteiro isso, todo dia isso, gringo folgado. Agora, eu acho que a medida que tinha que ser tomada pelo Sheraton é a seguinte: o cara passou a mão nas meninas, fez gesto obsceno, tira o cara do local onde está todo mundo curtindo e vai resolver para lá. Mas não, estão aqui tranquilamente, só faltam dar beijinho na testa do tarado do caral*o".

Depois de mostrar o rosto das jovens agredidas, ela ainda questionou: "Agora imagina se é uma garota menor, que tem 10, 11 anos?.

"A gerência do hotel disse que levou ele para lá, não acabou resolvendo muito. Na verdade, quem teve que resolver fui eu, acabei dando na cara dele. O pior é a galera justificar essa atitude ridícula falando que ele está bêbado, fora de si. Esses gringos têm que aprender, e todos vocês, caras folgados: não importa se você bebeu, você tem que respeitar. O que eu fico mais indignada é que, se não fosse eu chegar aqui e causar um auê, o pessoal, os seguranças continuariam assistindo a ele assediando a mulher e não iam fazer nada", disse.

A artista ainda relatou que foi contida pelos seguranças ao agredir o assediador. "Sabe o que foi pior? Na hora em que eu dei na cara desse merda, desse lixo, os seguranças falaram assim: 'Não agrida'. Ah, então ele pode chegar aqui e pessar a mão na menina, ficar com o 'bindolo' (sic) de fora, se masturbando, e eu não posso dar na cara desse lixo? Quando você se cala diante de uma situação de abuso e agressão, você é cúmplice. Quando você vir uma situação dessa, reaja, não fique ao lado do agressor", finalizou.

O UOL procurou o hotel, que afirmou: A segurança dos hóspedes é sempre uma das maiores prioridades do Sheraton Grand Rio Hotel & Resort. Rejeitamos qualquer assédio. Assim que fomos informados sobre o incidente, chamamos a segurança local e prontamente nos oferecemos para entrar em contato com as autoridades. Permanecemos disponíveis para ajudar".

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa