menu
Topo

Universa

Fernanda Lima rebate rótulo de casal perfeito: válido para provocar diálogo

Divulgação
Fernanda Lima fala sobre a criação dos filhos e a temporada nos EUA Imagem: Divulgação

Carolina Martins

Colaboração para o UOL

08/12/2017 18h15

Aos 40 anos, Fernanda Lima é sempre requisitada para eventos de beleza. Mas foi só depois do nascimento dos gêmeos, João e Francisco, de 9 anos, que a apresentadora, se deu conta, e começou a cuidar da imagem. "Nos seis primeiros meses, eu lembro que eu ia trocar as fraldinhas deles, me olhava no espelho e parecia que eu tinha cara de vidro, craquelada, de tão cansada por não dormir, dar mama para dois... Eu via meus olhos escurecerem embaixo e eu passava o creme de assadura no bumbum deles e na minha cara, ao mesmo tempo. Ali, eu comecei a me dar conta de que o tempo passa e o cansaço te desgasta, te envelhece", disse ela ao UOL durante evento da The Body Shop Brasil, em São Paulo, na última quinta-feira, 7. "Mas o amor, a alegria e o bom humor te trazem maturidade. E a maturidade te traz uma beleza e algo especial. Dá certo quando há equilíbrio: se cuidar bem e manter a alma feliz e plena", completou.

Veja também:

Fernanda disse ainda que na época de modelo não fazia absolutamente nada em relação aos cuidados da beleza. "Eu achava que a vida ia ser sempre maravilhosa comigo", contou. Mesmo zelando por sua aparência hoje em dia, Fernanda acredita que poderia fazer mais. "Hidrato meu corpo, uso bastante protetor solar, pouco tomo sol, uso muito demaquilante, creme em volta dos olhos e só. Deveria fazer muito mais coisa que eu não faço considerando o que o mercado da beleza oferece", explicou.

Atualmente, a apresentadora está morando na Califórnia, Estados Unidos, com os filhos e o marido, Rodrigo Hilbert. "Estamos passando essas longas férias lá e está sendo muito interessante porque estou em tempo integral com as crianças e o Rodrigo. Sempre fomos uma família unida, mas agora se intensificou muito. Essa saída foi estratégica justamente para podermos viver esses momentos com muita união", contou.

"Ninguém me conhece lá e, apesar de eu lidar com essa coisa da fama de uma maneira bastante razoável, as crianças estavam confusas com essa questão. Eles se questionaram se também eram famosos e importantes. Aí eu tive que dar uma aterrizada neles e explicar que não, que a fama vem de muito trabalho, muita luta e que eles não têm que se preocupar com isso agora", disse ela, que contou que viveu uma situação desconfortável com as crianças. "Eles me falaram que pediam para tirar fotos com eles quando eles não estavam comigo. Eu quis dar um corte bem seco nisso para que eles entendessem e tivessem uma outra referência de vida", revelou. 

Reprodução Instagram
Imagem: Reprodução Instagram

Casal margarina

Mesmo longe de casa, Fernanda não deixou de acompanhar as notícias que saem sobre ela e Rodrigo no Brasil e comentou os rótulos que o "casalzão" ganhou ''Supermulher", "Homão da Porra". "É uma piada quase", brincou. "Eu acho que o importante é estarmos falando sobre isso. Coisas que prezamos como família, criação de filhos, a necessidade de falar sobre os homens. E não é o Rodrigo. Tem uma geração muito interessante de homens que estão repensando a condição masculina, dos atributos masculinos e se dando conta que isso tudo é uma grande bobagem e que realmente temos que ser iguais, estar juntos nessa e que é uma parceria. Eu acho válido (os apelidos) para provocar o diálogo, e não para nos exaltar ou dizer que a gente é mais ou menos. Isso eu acho bobagem, mas se surgiu dessa maneira e podemos falar sobre isso, acho válido", celebrou.

Mesmo lá fora, Fernanda se depara com as reações de mães de coleguinhas de escola dos filhos ao contar o ofício dela e do marido no Brasil. "Elas fazem uma cara. Devem pensar que eu estou falando um inglês errado quando eu conto que tenho um programa que fala sobre sexo e meu marido faz um programa de cozinha", disse. "É curioso, mas que bom que eu e ele podemos fazer esse tipo de programa, coisa que se fosse há uns 30 anos atrás, seria bizarro." 

Coisa de menina?

O importante para a apresentadora é aplicar dentro de casa a naturalidade da convivência com as diferenças. "Os meninos cozinham em casa e é algo natural, se é natural é porque eles já têm o espelho do pai. Senão seria 'coisa de menina'. Tudo isso está se quebrando e eu acho maravilhoso. Não ter atributos femininos e nem masculinos. Ser tudo igual e gostar de fazer por amor, por carinho, sem ter que fazer porque é uma obrigação minha", disse.

"Tem coisas que nem precisam ser ditas para eles. No próprio dia a dia, com o exemplo, eles já se dão conta. Óbvio, criança precisa de educação constante. Tem outras coisas que precisam ser ditas porque eles estão sempre recebendo outro tipo de informação que às vezes pode ser o que a gente não quer", explicou.

Pablo no "Amor & Sexo"

Já sobre Pablo Vittar, Fernanda torce pelo sucesso da cantora, mas acredita que ela não voltará a subir ao palco do programa "Amor & Sexo". "Ela não me procurou pra falar nada, mas eu acredito que, com a agenda que a Pablo está, ela tem mais é que seguir a história dela e brilhar mundo afora. Adoraria que ela estivesse com a gente, mas no fundo da minha alma, acho que vai ser bem difícil", lamentou.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa