menu
Topo

Carreira e finanças

11 lições de linguagem corporal para se dar bem na entrevista de emprego

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Heloísa Noronha

Colaboração com o UOL

07/12/2017 04h00

De nada adianta um currículo nota 10, recheado de cargos importantes e empresas de prestígio, se na hora da entrevista você acabar com as chances de obter a vaga tão desejada ao mandar mal nas atitudes. Os entrevistadores são experts em decifrar as nuances da linguagem corporal e podem limar você do processo de seleção se acharem que alguns comportamentos fogem ao esperado.

Veja também

Siga esses 11 conselhos básicos e encare o momento com maior segurança:

1.Sorria, meu bem

Após a atitude básica - cumprimentar com educação, falando "bom dia" ou "boa tarde" - dê um sorriso simpático, seguro e que, principalmente, demonstre sua satisfação em estar ali. Não precisa expressar mais gentileza ou extroversão do que o momento requer, pois pode gerar má interpretação. Apenas aja com cordialidade.

2. Aperte a mão do entrevistador, mas nem tanto

O aperto deve ser firme, mas sem esmagar a mão do outro - há o risco de a força ser encarada como agressividade e até arrogância. Já o cumprimento frouxo costuma indicar uma personalidade relaxada e pouco comprometimento.

3. Olha a postura!

Nunca se posicione relaxando totalmente as costas no encosto da cadeira, pois isso pode gerar no entrevistador a impressão de que você não tem interesse no que ele está falando. Inclinar-se levemente para a frente - mas não muito - mostra atenção no conteúdo da conversa. Reaja com movimentos corporais discretos em certos momentos da entrevista e mude de posição algumas vezes. A rigidez pode passar a impressão de tensão ou artificialidade.

4. Controle o gestual

As mãos precisam ter uma sincronia harmônica com a fala e devem estar sempre abertas, mostrando interesse ao que se ouve.

5. Olhe nos olhos do entrevistador, mas sem fixar demais

É para criar contato visual, não intimidá-lo ao ponto de achar que você tem algum grau de psicopatia. Procure focar no triângulo entre os olhos e a boca. Evite olhar ao redor, principalmente ao responder alguma pergunta: isso soa como sinal de tédio ou, pior, insegurança.

6. Incline o corpo ligeiramente para frente

Faça o movimento quando for escutar uma pergunta: esse movimento transmite humildade, disposição e interesse pelo questionamento.

7. Sinalize com a cabeça

Ao fazer movimentos discretos de concordância com a cabeça, você demonstra interesse no que está sendo abordado. Isso facilita a conexão pessoal com o entrevistador.

8. A cara da calma

O ideal é manter uma expressão facial serena, confiável e neutra, demonstrando equilíbrio. Nada de fazer caras e bocas ou retesar muito a testa.

9. Evite braços e pernas cruzados ao mesmo tempo

Essa postura passa a imagem de que é uma pessoa fechada ou de que está prestes a enfrentar um combate. Procure estar em sintonia com o gestual do entrevistador. Evite ficar com o braço apoiado na mesa o tempo todo, pois esse comportamento indica que é alguém rígido, inflexível e pouco resiliente.

10. Fuja de movimentos que demonstrem nervosismo

Roer unhas, ficar apertando as próprias mãos, morder a ponta da caneta ou brincar com colares, relógios e pulseiras. Mantenha as mãos em repouso durante a conversa e, pelo amor, não fuce no celular.

11. Não fique olhando para o relógio

Esse gesto pode ser interpretado como algo rude e que você está com pressa. Lembre-se: a entrevista é o momento de estar 100% presente ali e de dar o melhor de si.
 

Fontes: Alexandre Prado, coach, especialista em finanças e presidente da consultoria Núcleo Expansão, do Rio de Janeiro (RJ); Andrea Deis, gestora empresarial pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), pedagoga e master coach, e Paulo Cota, professional e life coach e diretor da empresa Co-laborar, em São
Bernardo do Campo (SP)

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!