menu
Topo

Casa e decoração

Hora da troca: qual o momento certo de substituir itens do dia a dia

Getty Images
As escovas de dente precisam ser trocadas com mais frequência do que você pensa Imagem: Getty Images

Claudia Dias

Colaboração para o UOL

14/11/2017 04h00

Esbanjar é uma palavra que não cabe no dicionário da vida sustentável. Bem ao contrário, quanto mais vezes usarmos itens de consumo, evitando compras, gastos e descartes desnecessários, mais estamos contribuindo de forma inteligente para uma melhor qualidade de vida no planeta.

Entretanto, alguns itens do dia a dia precisam ser trocados com frequência, seja por questão de saúde ou por perda de eficácia mesmo. A seguir, listamos vários artigos que têm hora certa para serem descartados.

Leia também:

 

 

Coador de café de tecido: a cada 30 dias

Se bem conservado e higienizado, o acessório costuma durar até 1 mês. Limpe-o com água corrente ou fervente, deixando-o secar em local ventilado. Guarde-o em lugar sem umidade ou na geladeira. Depois disso, melhor trocar por um novo.

Colchão: a cada 4 anos

O ideal é substituí-lo antes do fim do prazo de validade em relação ao bactericida. Se você espirra demais ou sente mal cheiro vindo do colchão, é porque a quantidade de fungos, ácaros e bactérias está elevada. Outro sinal: se não consegue relaxar e se mexe a noite inteira procurando uma melhor posição, é porque o colchão já está perdendo sua eficácia, com a espuma desgastando e perdendo a firmeza.

Escova de cabelo e pente: quando não cumprirem mais a função

Para evitar acúmulo de bactérias e garantir maior vida útil, evite deixar resíduos de cabelo ou restos de pele nos acessórios. Higienize com água corrente e deixe secar bem.

Escova de dente: a cada 90 dias ou quando as cerdas deformarem

Após esse período, as escovas se tornam menos eficientes na remoção da placa bacteriana. Também recomenda-se a troca do item depois de um resfriado, gripe, infecção na boca ou dor de garganta, pois os germes podem se alojar nas cerdas e levar à reinfecção.

Escova do vaso sanitário: a cada 60 dias

Por ser um objeto que acumula muitas bactérias, o ideal é que a troca seja feita bimestralmente.

Esponja de banho: não a tenha

Dermatologicamente falando, o uso de esponja é contraindicado, pois leva ao desgaste da pele, causando irritações e dermatites. É vista como uma "acumuladora" de sujeira.

Esponja de louça: a cada 30 dias

Com o tempo, a esponja fica mais mole e perde a abrasividade, ou seja, seu "poder de limpeza" diminui. Esponjas usadas com muita frequência e intensidade não costumam durar mais do que 15 dias e, às vezes, nem isso. Para saber a hora da troca, considere perda de formato e firmeza.

Filtro da coifa: a cada 30 dias

O filtro da coifa absorve muita gordura e, para evitar que a coifa comece a "pingar" essa graxa, o ideal é efetuar a troca todo mês.

Lente de contato: de acordo com fabricante

Há diferentes orientações de uso, variando de apenas 1 dia até 1 ano.  O correto é seguir as especificações do fabricante e as orientações do oftalmologista.

Pano de prato: a cada 60 dias

Pelo acúmulo de bactérias que registra, o ideal é trocar o pano a cada 2 meses. Se for de algodão grosso de boa qualidade e só usado para enxugar louça, com higienização diária, dura 1 ano facilmente. Dica: quando o tecido esgarçar e o pano for aposentado na cozinha, use-o na faxina, para tirar pó ou polir móveis e metais.

Tábua de cortar de madeira e plástico: a cada 6 meses

Quando notar fissuras que acumulam alimentos, dificultando a higienização, é hora de substituir o acessório. Enquanto isso, ao lavar, deixe-o de molho em solução de água e cloro para evitar proliferação de bactérias e seque bem antes de guardar. Na hora da compra de uma nova, opte pelo item de acrílico ou vidro.

Travesseiro: a cada ano

Para se ter uma ideia, no intervalo de 1 ano e meio e 2 anos, 10% do peso de um travesseiro vai corresponder à colônia de fungos, ácaros e bactérias. O acessório se torna ambiente propício para os intrusos, já que acumula fluidos eliminados pela boca, olho, nariz e ouvido, que se juntam ao calor do corpo e descamação natural do corpo. O mal-cheiro é um ótimo indício do momento para troca.

Com higienização correta, eles duram mais:

Capa de colchão: a cada 30 dias

Colchões acumulam muita bactéria. Por isso, o ideal é adotar a capa como proteção extra, lavando-a mensalmente. Se possível, reveze mais de uma peça. Com a higienização correta, pode ser utilizada até o tecido desgastar.

Tapete de banheiro: a cada 7 dias

Se não for lavável, deve ser trocado semanalmente. Caso contrário, basta um banho pelo menos a cada 7 dias e o uso está liberado até o tecido ceder.

Toalha de banho: 1 vez por semana

Em termos de saúde, recomenda-se que seja lavada, pelo menos, uma vez por semana. Quando limpa, pode ser reutilizada normalmente.

FONTES: Alexandre Carvalho Abreu, cirurgião-dentista membro da SucessOdonto Prime; Caio Lamunier, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); Claudinei dos Anjos, diretor-presidente da Anjos Colchões; Gabriela Pegurier, apresentadora do quadro ABC da Cozinha, na Band; João Pedro Lúcio, técnico de serviços da rede Maria Brasileira; Lisia Aoki, oftalmologista do Hospital das Clínicas de São Paulo; Luara Faria, personal organizer; Mario Galluzzi, chef da Mario Galluzzi Cozinha de Afeto; Rafael Venzol, chef do Estação Leopoldina Parrilla.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!