menu
Topo

Mães e filhos

Conheça 8 atitudes dos pais que atrapalham o desempenho escolar dos filhos

Getty Images
Imagem: Getty Images

Gabriela Guimarães e Rita Trevisan

Colaboração para o UOL

02/11/2017 04h00

Escolher uma instituição de ensino que tenha a ver com o estilo e os valores da família e acreditar na proposta pedagógica dela é fundamental para ver o desempenho escolar do seu filho decolar. Mas, para garantir melhor aproveitamento da estrutura e dos conteúdos oferecidos, é importante, também, que os pais acompanhem ativamente o processo de aprendizagem da criança.

O problema é que, às vezes, mesmo com o intuito de ajudar, eles acabam atrapalhando. Saiba aqui quais são as atitudes que devem ser evitadas, no dia a dia de estudos do seu filho:

1. Não olhar a lição de casa

Nem sempre os pais têm tempo de ver todas as tarefas e há, ainda, os que acreditam que não podem interferir, deixando essa responsabilidade para a escola. Mas é importante que pelo menos um dos adultos da casa se empenhe em acompanhar os deveres da criança. Isso não significa desempenhar a função por ele, mas auxiliá-lo em suas dúvidas, sempre que possível. Relacionar os tipos de vegetação explicados em sala de aula com as lembranças de uma viagem de férias da família pode tornar o conteúdo ainda mais significativo do que apenas repetir o que está escrito na apostila, por exemplo.

2. Exigir que a criança decore a matéria

Pedir que o filho decore o conteúdo dado em aula, prometendo que “vai tomar a lição” mais tarde ou ameaçando-o com castigos caso ele fique de recuperação, não funciona, segundo os especialistas. Mais proveitoso do que fazê-lo decorar a tabuada é mostrar que 2 X 6 é a mesma coisa que somar duas vezes 6 lápis + 6 lápis, ou seja, tentar ajudá-lo a entender o conceito que está por trás do exercício.

3. Fazer trabalhos escolares por ele

Mais importante do que entregar o trabalho pronto, correto, bem feito e na data marcada, é que a criança seja a autora de sua própria tarefa, desde o planejamento ao desenvolvimento das ideias. Os pais podem auxiliá-la, apontando os meios de fazer uma pesquisa, por exemplo, mas é indicado deixá-la à vontade para criar o conteúdo, sem interferências. Dessa maneira, ela aprende que trabalho escolar não é apenas para tirar nota, mas uma forma de desenvolver a própria criatividade.

4. Usar a calculadora para resolver o problema de matemática

Existe muita cobrança por parte de pais, que não aceitam que o filho cometa erros nas lições. Mas é bom lembrar que erros fazem parte do processo de aprendizado. Se tudo estiver correto, como o professor vai saber se o aluno entendeu ou não o conteúdo? A função dos pais, nessas horas, é de orientação. Se possível, apresente a ele uma situação concreta, que ajude na resolução da questão que ele errou ou em que está com dúvidas. Se ele continuar sem entender, melhor pedir que deixe a resposta em branco e peça o auxílio do professor.

5. Fazer pressão para ele aprender a ler

Forçar a criança a ler quando ainda não está pronta é o melhor caminho para que ela pegue aversão à leitura. O processo de alfabetização acontece desde que os pequenos entram na escola até as séries iniciais do Fundamental e o desenvolvimento dessa capacidade é espontânea. Por isso, não é bom pular etapas. Toda criança tem motivação interna para aprender e o processo de aprendizagem é individual. Por isso, é imprescindível respeitar o tempo dos pequenos. 

6. Tratar o estudo como castigo

Obrigá-lo a estudar por muitas horas após o colégio também pode atrapalhar. Vale muito mais pedir que seu filho conte o que aprendeu naquele dia na escola e interagir com ele sobre o tema ou, até, iniciar um bate-papo sobre suas próprias dificuldades no colégio. A família pode ajudar a criar uma rotina de estudos, mas o tempo que o aluno passa debruçado sobre os livros não deve ser muito longo. A escola já providencia as tarefas em uma dosagem adequada para as idades e necessidades de reforço de cada turma.

7. Encher a agenda dele

Escola de manhã. Á tarde, natação, inglês e aulas de reforço. A intenção pode ser das melhores, mas lotar a agenda de seu filho com atividades extracurriculares, com o objetivo de prepará-lo melhor para o futuro, pode atrapalhar mais do que ajudar no processo de aprendizado. Estabelecer uma rotina para seu filho não implica em deixar a agenda dele abarrotada de compromissos, mas, sim, ensiná-lo a aproveitar melhor o seu tempo livre para escolher o que quer fazer.

8. Exigir as melhores notas

Se a criança se empenha e se dedica, a nota, em geral, é boa. Mas exigir que ela consiga notas altas em todos os bimestres e matérias só atrapalha. É preciso levar em consideração o tempo e as aptidões de cada um. Nem sempre quem é fera em matemática se sai bem na redação. Se os resultados no boletim não estão bons, os pais devem procurar saber, em primeiro lugar junto à escola, o que pode estar atrapalhando o desempenho escolar do filho.

FONTES: Gislene Maria Magnossão Naxara, Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil e 1° ano do Colégio Salesiano Santa Teresinha. Jozimeire Stocco, professora e diretora-geral do Colégio Stocco, de Santo André. Dayse Canano, diretora da Escola Petra, psicóloga, psicopedagoga e especialista em transtorno da infância e da adolescência. Alexandre do Carmo de Andrade, coordenador pedagógico do Colégio Guarapiranga.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!