Universa

A cada 2h uma mulher foi assassinada no Brasil em 2016; estupros subiram

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL

30/10/2017 21h03

Em um só ano, 4.657 mulheres foram assassinadas no Brasil. É o mesmo que uma morte a cada duas horas, divulgou nesta segunda (30) o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Os números são de 2016, ano em que o país teve recorde nas mortes violentas intencionais: foram 61.619 no total, um número 3,8% maior do que o registrado em 2015.

O Estado campeão de mulheres assassinadas, considerando proporcionalmente sua população, foi Mato Grosso do Sul: foram com 7,6 a cada 100 mil habitantes. O número é quase 23% maior do que o de 2015.

É feminicídio ou não?

Entre os assassinatos de mulheres, apenas 533 foram registrados como feminicídio, ou 11,4%. Apesar de muitas ocorrências de feminicídio ainda ganharem registros como homicídio simples, o dado representa um pequeno aumento em relação ao ano anterior.

Em 2015, a lei 13.104 determinou que sejam chamados de feminicídio as mortes de mulheres que envolvam violência doméstica, familiar ou que tenham motivação por gênero. É um tipo de homicídio qualificado.

No ano em que a lei foi sancionada, 328 casos foram apontados como feminicídio, ou 6,8% dos assassinatos de mulheres naquele ano.

Veja mais

Estupros subiram

O país teve, em 2016, 49.497 casos de estupro registrados. O número é 3,5% maior do que o ano anterior. Já as tentativas de estupro tiveram uma pequena queda, mas ainda tivemos 6.379 ocorrências do crime.

De novo, Mato Grosso do Sul se mostrou o Estado mais perigoso para as mulheres. O maior índice de estupros é de lá: 54,4 casos a cada 100 mil habitantes. Santa Catarina, por sua vez, lidera o ranking de tentativas de estupro: foram 10,2 a cada 100 mil pessoas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo