Topo

Carreira e finanças

TV japonesa revela que jornalista morreu por excesso de trabalho em 2013

Reprodução
Miwa Sado, morta em 2013 Imagem: Reprodução

Do UOL

05/10/2017 09h59

Sabe aquela hora extra inocente de todo dia? Ela pode ser muito mais prejudicial do que parece. Em uma trágica revelação, a NHK, principal rede de TV do Japão, contou ao "Japan Times" que a repórter Miwa Sado, falecida aos 31 anos em 2013, morreu por conta de situações extremas de trabalho.

Segundo investigações, a jornalista teria tido uma falha cardíaca em julho de 2013 após trabalhar 159 horas seguidas com apenas dois dias de folga antes de sua morte.

Veja também

Sado começou sua carreira em 2005 e cobriu a área política de 2010 até a sua morte. Um dos chefes da rede de TV afirmou que é um problema geral da organização, até mesmo pelo ritmo das coberturas políticas no Japão. Sobre a demora em revelar o caso, teria sido um pedido da família.

Este tipo de problema não é novo no país. O primeiro ministro Shinzo Abe já havia alertado para a necessidade de melhora nas condições de trabalho dos japoneses após o suicídio de um funcionário da empresa Dentsu Inc., em 2015, também por excesso de horas trabalhadas.

Por esse caso, a Dentsu será julgada por violação a regras de trabalho nesta sexta-feira (6).

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!