menu
Topo

Universa


Universa

Ao som de Anitta e Safadão, gestante dança para facilitar trabalho de parto

Adriana Nogueira

Do UOL

15/05/2017 14h58

Para se preparar para dar à luz Cecília, sua primeira filha, Marcela Lessa “dançou” a música “Você Partiu Meu Coração”, hit nas vozes de Anitta e Wesley Safadão, na maternidade. Até esta segunda-feira (15), o vídeo com a performance havia alcançado 30 mil visualizações no Facebook. O que parece apenas uma gravação que se tornou viral por ser engraçadinha tem um nome científico e uma finalidade: fisioterapia pélvica.



No vídeo, Marcela é acompanhada pela fisioterapeuta Thalita Freitas, especializada em saúde da mulher pela USP (Universidade de São Paulo). “Quem vê pode pensar que é só uma dancinha qualquer, mas são exercícios orientados para cada fase do trabalho de parto. A música foi escolha da parturiente, mas o objetivo ali é fazer movimentos que ajudem o bebê a descer e a se encaixar no canal de parto. Eles ainda ajudam a tirar o foco da dor da contração”, explica a profissional.

Segundo Thalita, desde que a gravidez seja saudável, não há contraindicação para a fisioterapia pélvica. O ginecologista e obstetra Alberto Guimarães confirma a fala da fisioterapeuta. “Se a mulher não tem nada que a impeça de ter um parto normal também não terá problema algum em executar movimentos como os do vídeo.”

Guimarães diz que se trata de mais um recurso à disposição da mulher para atravessar o trabalho de parto. “A movimentação ajuda o bebê a se encaixar, o que aconteceria também se a mãe andasse, por exemplo. Mexer-se ainda pode minimizar o desconforto da contração, sendo uma alternativa não medicamentosa para enfrentá-la.”

Para o ginecologista e obstetra Ricardo Luba, é fundamental que essa movimentação tenha sido liberada pelo médico que acompanha a mulher e acompanhada ou de um fisioterapeuta ou de um enfermeiro obstetra.

A fisioterapeuta Thalita conta que Marcela começou a ter contrações às 2h30 e chegou ao hospital às 10h30, quando elas ficaram ritmadas. “Assim que ela foi internada e avaliada pelo médico, começamos a fazer os exercícios. Os movimentos foram variando de acordo com a posição da bebê na pelve dela. Na hora do vídeo, ela estava com sete centímetros de dilatação. Duas horas e meia depois, ela atingiu os dez [grau máximo que possibilita o nascimento].”

 

Mais Universa