menu
Topo

Carreira e finanças

Vídeo mostra como cor da pele influencia empregadores em processo seletivo

Do UOL

17/11/2016 18h56

O Governo do Estado do Paraná fez um vídeo para denunciar como a cor da pele influencia a visão sobre candidatos em um processo seletivo. 

Na sequência, publicada na página do governo paranaense, na quinta-feira (17), como parte de uma campanha contra o racismo, profissionais de recursos humanos são convidados para participar de um teste e divididos em dois grupos.

Para o primeiro, o entrevistador mostra pessoas brancas em situações como correr na rua, usando terno e gravata e pintando uma parede com uma lata de spray, entre outras. Os participantes são estimulados a dizerem o que acham dos retratados.

Surgem explicações como o homem corre porque está atrasado, o de terno é um executivo, e a mulher que pinta uma parede é uma grafiteira --um dos entrevistados chega a dizer que "grafite é arte, não é vandalismo". 

Porém, quando fotos com pessoas negras fazendo as mesmas atividades são mostradas para o segundo grupo, as impressões são completamente diferentes. O homem de terno e gravata é visto como segurança de um shopping, a mulher com a lata é uma "pixadora", e o que está correndo é visto como um ladrão. 

O vídeo foi o jeito que o Governo do Estado do Paraná usou para explicar o que é racismo institucional, que afeta diretamente a população negra no mercado de trabalho. De acordo com a campanha, é por causa do preconceito que negros recebem 37% a menos do que brancos e ocupam apenas 18% dos cargos de liderança. 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!