menu
Topo

Universa

Adolescentes devem esperar a menstruação ficar regular para se depilarem

Getty Images
Para meninos e meninas, a recomendação médica é esperar a puberdade se consolidar para começar a se depilar Imagem: Getty Images

Juliana Nakamura

Colaboração para o UOL

08/11/2016 15h34

O aparecimento de pelos é um dos primeiros sinais de que a puberdade chegou. Junto com eles surge o desejo dos jovens de se livrarem da incômoda novidade, incluindo a depilação em seus cuidados estéticos.

Entre os 11 e os 14 anos, os pelos ficam mais grossos e evidentes por causa das alterações hormonais. Mas o ideal é iniciar a depilação somente após a puberdade, segundo o dermatologista Abdo Salomão, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia.

No caso das meninas, isso acontece quando a menstruação fica regular. “Antes disso, não recomendamos depilar porque a configuração dos pelos [onde nascerão] da jovem ainda não está bem definida”, afirma o médico.

A dermatologista Paula Bellotti, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, diz que, na adolescência, a recomendação é depilar apenas as áreas que incomodam mais, geralmente meia perna e buço. A virilha também pode ser depilada, mas sem cavar muito.

Técnicas tradicionais

Os métodos que os adolescentes podem utilizar não diferem dos usados por adultos. “Cada pessoa deve experimentar e escolher a melhor opção para si, seja lâmina, cera quente, laser ou outros”, diz a dermatologista Tatiana Steiner, membro da SBCD (Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica) e da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A busca pela solução mais eficaz para a retirada dos pelos deve levar em conta a parte do corpo que será depilada. “Em áreas extensas como pernas, a cera é um bom método. No entanto, para as pessoas que sentem muita dor ou têm problema com pelos encravados, a lâmina deve ser considerada”, diz Salomão.

Para a virilha e as axilas, as lâminas são muito procuradas pela praticidade, assim como os cremes depilatórios, que dissolvem a parte externa do pelo.

“No caso dos cremes, o grande perigo é a ocorrência de alergias. Por isso, deve-se fazer o teste de sensibilidade antes, aplicando uma pequena quantidade do produto no braço e aguardar um dia para verificar se surgem reações. Se a pele ficar vermelha ou coçar, é sinal de que o creme tem potencial alérgico”, afirma Tatiana.

A dermatologista reforça que em hipótese alguma deve-se ultrapassar o tempo máximo de aplicação recomendado pelo fabricante do cosmético. “O creme depilatório deve ser usado com cautela, pois alergias podem ser adquiridas com o passar do tempo”, Tatiana Steiner.

Laser e fotodepilação

Para o dermatologista Abdo Salomão, entre todos os métodos disponíveis, o laser tem mais vantagens porque promove uma depilação de longa duração, não causa foliculite (inflamação na raiz do pelo), melhora manchas e é praticamente indolor.

Os cuidados em peles jovens são semelhantes aos aplicados em peles maduras. É necessário não tomar sol antes e depois do procedimento e, dependendo da área depilada, deve-se passar cremes com ação calmante. “Também é importante evitar o atrito na região tratada”, declara Paula Bellotti.

De acordo com a dermatologista Tatiana Steiner, o corpo do adolescente ainda está em transformação e, por conta das alterações hormonais, novos pelos podem surgir até a idade adulta. “Para obter máxima eficiência, o ideal é que os pais orientem os filhos a aguardar a puberdade passar para iniciar o tratamento de depilação a laser.”

Outra técnica atual é a fotodepilação (luz dispersa e pulsada, com diferentes comprimentos de onda), que também pode ser utilizada por adolescentes e não tem contraindicação. Os cuidados e recomendações são os mesmos do laser.

Sem pelo encravado

No caso dos meninos, a barba passa a ser uma preocupação estética com a chegada da puberdade, ainda que os pelos sejam mais finos e com menor densidade, se comparados aos de um homem adulto.

Uma das queixas mais recorrentes nessa faixa etária é o pelo encravado, que acontece quando fios ficam retidos sob a pele, gerando um processo inflamatório. O resultado é dor, infecção por bactéria e bolinhas de pus.

Há algumas estratégias para evitar o problema. A primeira é fazer a barba sempre no sentido do crescimento do pelo. Outra recomendação é nunca usar lâminas velhas e se barbear com água morna.

O melhor momento para eliminar os pelos do rosto é após o banho, que é quando os fios estão mais macios e o número de bactérias na superfície da pele é bem menor, diminuindo o risco de foliculite.

“Se realizado de maneira inadequada ou com produtos de má qualidade, o ato de se barbear pode agredir a pele em qualquer idade”, diz Tatiana Steiner, que recomenda aos meninos os seguintes procedimentos: barbear-se diariamente, usando produtos que não obstruam os poros, e intensificar a limpeza da pele, além de hidratante e loção calmante pós-barba.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa