Universa

Ditadores podem doar sangue, gays não, diz campanha

Do UOL, em São Paulo

07/07/2016 17h21

Um vídeo da ONG Bandeiras Brancas, que cria ações em prol da paz, quer acabar com o preconceito em relação à doação de sangue. "Doar é um direito" é uma parceria com a campanha da All Out, movimento global em defesa dos direitos LGBT, que questiona a portaria 2.712 do Ministério da Saúde sobre homens homossexuais não estarem aptos a doar --mesmo que tenham o sangue saudável para ser compartilhado.

A produção fala sobre dados checados pela All Out a respeito do desperdício de sangue no Brasil --cerca de 18 milhões de litros por ano--, por conta da restrição imposta pelo órgão do Poder Executivo Federal.

Ao longo de quase dois minutos, figuras de ditadores de diversas nacionalidades, como Sadam Hussein e Benito Mussolini, aparecem para mostrar que todos eles, teoricamente, seriam potenciais doadores. A conclusão é que "o comportamento dos ditadores é aceito, mas dos homossexuais não".

Para extinguir a determinação, a ação precisa reunir 20 mil assinaturas até novembro, para que a proposta seja levada ao Senado. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo