Topo

Universa


Universa

Minha planta está doente e agora? Veja dicas de como cuidar do jardim

Getty Images
Para ter um jardim sempre belo regue, adube e pode adequadamente suas plantas Imagem: Getty Images

Simone Sayegh

Do UOL, em São Paulo

2014-09-05T07:01:00

05/09/2014 07h01

O jardim não vai bem e você não sabe o que fazer? Muitas vezes a forma de resolver o problema das plantas é mais fácil do que se imagina: primeiro, identifique se há alguma condição ambiental insatisfatória para a espécie atacada e os sintomas apresentados (se está murcha, apodrecida ou com estruturas "amolecidas", por exemplo). Há sol demais ou luz de menos? A irrigação e o solo são adequados? O clima da região é propício? Combater a doença sem corrigir o(s) fator(es) que favorece(m) seu surgimento dificilmente trará resultados permanentes e, com frequência, o simples reposicionamento do espécime e/ou a modificação no trato é suficiente para deixá-lo saudável. 

Porém, se o vegetal estiver sendo acometido por uma praga ou se realmente adoeceu, diminua a capacidade de propagação dos organismos que agridem o exemplar ou provocam a doença. Remova as partes comprometidas e os insetos visíveis. para isso, basta cortar os ramos que apresentam sintomas, remover as folhas doentes e lavar a plantinha. Esses organismos patogênicos se multiplicam exponencialmente e reduzir sua quantidade é sempre uma excelente estratégia.
Por fim, faça uso de soluções naturais, próprias para uso doméstico, como as caldas de Santa Maria ou de fumo. Lembre-se que o fato de terem origem orgânica ou de se degradarem naturalmente no ambiente não significa que essas substâncias não sejam tóxicas. Proteja o corpo e os olhos, não inale e, sempre, aplique a favor do vento. Também se atente a impedir o contato de crianças ou animais domésticos com as plantas em tratamento ou o próprio preparado.
 
Para evitar a recomposição da população a partir de poucos indivíduos que tenham sobrevivido, mantenha uma regularidade na aplicação das soluções. Porém, não é recomendável utilizar o mesmo produto (princípio ativo) por períodos muito longos, a fim de evitar a seleção de agentes mais tolerantes. E lembre-se: o defensivo (mesmo o natural) combate as pragas e, muitas vezes, seus predadores. Para não desequilibrar o ecossistema do local só use quando realmente necessário. 
 
Em casos muito críticos, em que pode ser necessária a utilização um produto mais forte, consulte um profissional especializado. Um engenheiro agrônomo poderá identificar com maior precisão o problema apresentado pela planta e especificar o defensivo mais adequado para o seu combate de forma segura para sua família e para o ambiente. 
$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-lista','/2014/como-ter-um-jardim-saudavel-1409004118196.vm')

Mais Universa