menu
Topo

Moda


Moda

Semana de Moda de Nova York enfrenta mudanças e não terá mais 7 dias

Getty Images
Desfile da estilista Gabriela Hearst na Semana de Moda de Nova York Imagem: Getty Images

2019-05-10T09:11:59

10/05/2019 09h11

A Semana de Moda de Nova York, uma das principais do calendário fashion, mesmo perdendo peso no circuito nos últimos anos, diminuirá de tamanho e passará de sete para cinco dias, segundo anunciou nesta quinta-feira o Conselho de Designers de Moda dos Estados Unidos (CFDA).

"O CFDA está fazendo mudanças significativas para fortalecer a New York Fashion Week (NYFW) e elevá-la como plataforma para a melhor moda americana", afirmou a organização, que no próximo dia 1º de junho substituirá Diane Von Furstenberg na presidência por Tom Ford.

Antes da incorporação ao seu novo posto, Ford foi um dos principais impulsores desta mudança que será efetivada em setembro deste ano: o calendário oficial da NYFW proposto pelo CFDA começará na noite de sexta-feira, 6 de setembro, e terminará na noite de quarta-feira, 11.

Habitualmente o evento durava uma semana inteira de setembro, de quinta a quinta, e recentemente já havia perdido um dia, de quinta a quarta-feira, sem levar em conta os desfiles das marcas que acontecem fora deste calendário, uma tendência cada vez mais frequente.

A organização afirmou em nota que as mudanças são "necessárias para globalizar mais" o evento e que não se dirigem "apenas à indústria americana e ao talento", além de ressaltar que está disposta a "um intenso processo de revisão" a cada temporada.

A revista especializada "WWD" publicou nesta quinta-feira entrevistas com Ford e o executivo-chefe do CFDA, Steven Kolb, sobre este novo formato decidido a pedido do novo presidente e no qual ambos confiam para revitalizar a Fashion Week.

A "WWD" destaca que o público se queixa há tempos da duração e da complexidade do evento, tanto no outono como na primavera, e a participação de marcas e da imprensa internacional caíram vertiginosamente, problemas aos quais Ford acrescenta a necessidade de que a moda americana se torne mais forte.

"Há uma escolha", disse o estilista à revista: "Que toda a NYFW caminhe para a irrelevância ou mudar o calendário, tentar revigorá-lo e tentar ser o mais atraente possível".