menu
Topo

Diversidade


Citando o Brasil, candidato na Bolívia quer desestimular diversidade sexual

Getty Images
Imagem: Getty Images

da EFE, em La Paz

04/01/2019 09h03

Um candidato às primárias das eleições presidenciais da Bolívia propôs nesta quinta-feira a eliminação de qualquer entidade pública que promova a diversidade sexual e, por outro lado, a criação de um Ministério da Família.

Humberto Peinado, candidato à vice-presidência pelo partido Unidade Cívica Solidariedade (UCS), anunciou em sua conta do Twitter que, se chegar ao governo, sua gestão trabalhará pela "eliminação de todo tipo de escritório que promova a diversidade sexual".

"Pelo contrário, promoveremos o nascimento de um Ministério da família", acrescentou Peinado em uma mensagem na rede social com a hashtag "Deus acima de tudo" em espanhol.

A mensagem inclui um link para um blog que informa da extinção de uma secretaria de diversidade no Ministério da Educação do Brasil, que tratava assuntos como os direitos da comunidade LGTBI, por decisão do novo ministro, Ricardo Vélez Rodríguez.

Peinado faz parte de uma candidatura às primárias na Bolívia, que acontecerão no próximo dia 27 de janeiro, liderada pelo ex-vice-presidente boliviano Víctor Hugo Cárdenas, que é respaldado por grupos a favor da família tradicional e contra as políticas que promovam a diversidade sexual.

A Constituição e uma série de leis proíbem a discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero na Bolívia, onde instituições como a prefeitura de La Paz contam com unidades como um Conselho Cidadão das Diversidades Sexuais.

O UCS é um partido fundado em 1989 na região de Santa Cruz, sem representação parlamentar, que participará das primárias prévias às eleições gerais de outubro deste ano na Bolívia.