menu
Topo

Moda


Moda

Desfile em Berlim teve protesto contra Bolsonaro

Marcio Damasceno/Deutsche Welle
Modelos desfilaram com cartazes com frases de Bolsonaro Imagem: Marcio Damasceno/Deutsche Welle

Marcio Damasceno

da Deutsche Welle

16/01/2019 09h37

Modelos levam à passarela cartazes com frases controversas do presidente e da ministra Damares Alves, em apresentação de estilista brasileira na Berlin Fashion Week.

Um dos destaques do evento de moda Berlin Fashion Week nesta segunda-feira (14/01), a estilista brasileira Aline Celi transformou o desfile de sua grife na capital alemã em uma manifestação contra o governo Bolsonaro.

Na passarela, modelos seguraram cartazes em inglês os dizeres "o erro da ditadura foi torturar e não matar" e "ela não merece ser estuprada porque é muito feia". As duas frases polêmicas são do presidente Jair Bolsonaro.

A primeira foi dita em entrevista à rádio Jovem Pan em junho de 2016. O segundo comentário foi feito em dezembro de 2014, quando o então deputado federal afirmou, em entrevista ao jornal Zero Hora, que a deputada Maria do Rosário (PT-RS) "não merecia ser estuprada" porque ele a considerava "muito feia".

Outra manequim, vestindo azul, desfilou com a frase "meninos usam azul e meninas usam rosa". A afirmação foi feita neste mês pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

Marcio Damasceno/Deutsche Welle
Protesto ocorreu em desfile de grife de brasileira radicada em Berlim Imagem: Marcio Damasceno/Deutsche Welle

"Isso é para lembrar que, mesmo eu não morando no Brasil, eu faço parte dessa cultura e para mostrar que, mesmo estando do outro lado do mundo, não concordo com o que está acontecendo no Brasil", ressaltou Celi, em entrevista à DW.

Nascida em Natal, no Rio Grande do Norte, a estilista é radicada na Alemanha há quase 10 anos, tendo aberto ano passado um showroom da sua grife num dos endereços mais valorizados do centro da capital alemã.

Ela participa regularmente da Berlin Fashion Week, e se destacou por levar à passarela coleções caracterizadas pelo estilo minimalista, em desfiles permeados por crítica social e política, sempre fazendo referências à situação no Brasil.

A primeira apresentação da marca no evento berlinense, em 2013, foi acompanhada da projeção de vídeos da onda de protestos no Brasil iniciada com manifestações contra o aumento de tarifas de transportes públicos nas grandes cidades. Em outro desfile, na Fashion Week do ano seguinte, ela destacou os protestos contra a realização da Copa do Mundo no Brasil.

Marcio Damasceno/Deutsche Welle
Aline Celi é conhecida por desfiles permeados por crítica social e política Imagem: Marcio Damasceno/Deutsche Welle

A marca, que leva o nome da estilista, se destaca pela preocupação com a sustentabilidade e a responsabilidade social. Celi gosta de dizer que através da roupa também é possível se transmitir um recado para sociedade.

"Moda não é superficial, moda não é só glamour. Com moda também podemos passar uma mensagem, moda também é política, moda também é economia", afirmou.

Realizado até a próxima quinta-feira, o Berlin Fashion Week reúne estilistas e grifes da Alemanha e do exterior com diversos eventos, atraindo anualmente à capital alemã cerca de 200 mil pessoas.