Topo

Casamento


Nos EUA, Geração Z pretende bancar a própria festa de casamento

Getty Images
Imagem: Getty Images

Colin Bertram

da Bloomberg

2019-03-07T15:50:54

07/03/2019 15h50

Pela primeira vez, a marca de planejamento de casamentos "The Knot" incluiu integrantes da Geração Z -- nascidos entre 1995 e 2010 -- no estudo Casamentos Verdadeiros, edição 2018.

Mesmo sendo tão jovens, 87% desses entrevistados acreditam que se casarão um dia -- mas pretendem elaborar o evento em seus próprios termos. Os resultados da pesquisa também confirmaram mudanças de atitude, dando preferência a celebrações mais personalizadas e com tradições repensadas de modo singular.

A pesquisa foi realizada pela Juv Consulting, montada por estrategistas de marketing (todos da Geração Z) que tentam tornar empresas clientes mais atraentes para essa faixa etária. A pesquisa trabalhou com uma amostra de 201 pessoas nos EUA com idade entre 14 e 23 anos.

Os pais não precisarão bancar a festa

Praticamente todos os participantes (92%) afirmaram que estabilidade financeira antes do casamento é importante para pagar pelas celebrações. Dentro da amostra, 33% preveem que vão pagar pelo casamento junto com o parceiro. Somente 5,5% acreditam que os pais bancarão toda a festa.

"A tendência geral está migrando na direção de casais que pagam pelo casamento", disse Lauren Kay, vice-editora da "The Knot".

"Os casais estão se casando mais tarde e então frequentemente já se estabeleceram profissionalmente e têm renda para bancar o evento. Também é um esforço por mais controle."

Em todas as faixas etárias, os resultados da pesquisa de 2018 mostram que 91% dos já casados contribuíram para o orçamento da cerimônia; 9% deles pagaram pelo evento todo sem ajuda. Entre os casais entrevistados que se casaram no ano passado, o mesmo percentual não deu qualquer contribuição financeira para o evento.

Faremos do nosso jeito

A personalização já é muito importante: 53% dos entrevistados da Geração Millennial (imediatamente anterior à Geração Z) querem que o casamento seja um reflexo do relacionamento com a pessoa escolhida. Para Kay, a pesquisa confirma que a próxima geração alcançará outro nível de personalização e customização, especialmente nos aspectos tradicionais da festa.

Embora 73% dos participantes da Geração Z tenham afirmado que tradições de casamento e noivado importam, somente 18% pretendem observar essas tradições de modo convencional.

Elas sofrerão mudanças. Mais de 80% pretendem combinar tradições ou criar os próprios costumes -- 44% dos participantes da Geração Z acham que vão combinar tradições de mais de uma cultura.

As maneiras de personalizar uma celebração variam, mas a equipe da "The Knot" tem percebido alterações nas tradições -- desde um novo visual para o corredor que leva ao altar a eventos temáticos (um casal fez a festa toda baseada na série Game of Thrones) e entretenimento incomum, como apresentações de nado sincronizado. Um em cada cinco indivíduos da Geração Z acha que contratará um profissional para planejar o casamento.

Casamento por uma boa causa

Consciência social também é relevante. Quase 60% dos entrevistados da Geração Z provavelmente incluirão uma instituição de caridade na lista de presentes, como forma de retribuir e usar o evento para causar impacto social.

"Essa geração é focada em inclusão e é socialmente consciente -- e quer se identificar com as marcas que apoia e quer que tenham valores parecidos", disse Kay.

Esses resultados são ratificados por um estudo de novembro de 2018 sobre a Geração Z feito pela McKinsey, que concluiu que essa faixa etária enxerga consumo como acesso (e não posse), expressão de identidade e questão ética.

De acordo com dados da Nielsen, a Geração Z hoje representa 26% da audiência total de mídia nos EUA, o maior segmento. Em 2020, essa geração representará 40% de todos os consumidores, influenciando quase US$ 4 bilhões em gastos discricionários, segundo pesquisa feita em maio passado pela MNI Targeted Media, que é uma divisão da Meredith Corp.