menu
Topo

Moda


Moda

Gucci e Fabergé oferecem porquinhos de luxo para Ano-Novo Lunar

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Colin Bertram

Da Bloomberg

01/02/2019 16h37

Na terça-feira, 5 de fevereiro, o calendário chinês dará início ao Ano do Porco. Para os chineses, o ano em que nascemos determina os traços de personalidade e a sorte na vida. Para as marcas de luxo, o Ano-Novo Lunar, ou a comemoração do Festival da Primavera, é uma chance de lançar coleções limitadas destinadas aos que celebram a mudança de temporada e a possibilidade de aumentar as receitas nas semanas seguintes ao período de fim de ano do calendário tradicional.

As formas e imagens de suínos estão em tudo, desde elegantes relógios suíços até encantadores enfeites para bolsas em 2019. A Vacheron Constantin permite levar para casa um relógio de platina de edição limitada enfeitado com um porco festivo com preço de US$ 123.000. A Bottega Veneta e a Louis Vuitton oferecem chaveiros ou enfeites para bolsas em forma de porco feitos com peles exóticas e couro tratado por US$ 490 e US$ 480, respectivamente.

A Johnnie Walker espera que você brinde a chegada do ano-novo com uma edição especial do blend de uísque escocês Blue Label com uma ilustração festiva de porco em tons de branco, dourado e azul que custa US$ 250.

A Gucci enfeitou bolsas, camisetas, suéteres e até meias com a versão da Disney de Os Três Porquinhos. Um pingente de ovo incrustado de joias, que custa US$ 8.200, contém um porquinho surpresa graças à Fabergé. E, para quem deseja cristais de ouro, a Baccarat oferece um objet d'art com forma de javali por US$ 390. Para não ficar para trás, a Longchamp e a Estée Lauder também têm produtos relacionados a porcos.

O porco (ou o javali) é o 12º e último dos animais do zodíaco chinês. Acredita-se que as pessoas nascidas sob esse signo sejam abençoadas com uma personalidade bonita e boa sorte. Trabalhadoras e enérgicas, elas são realistas e desfrutam da vida. Elas gostam de se divertir e, apesar de não esbanjarem, às vezes se dão luxos.

Todas as marcas de luxo estão voltadas aos consumidores que querem agradar a si e aos demais. Com a comemoração do Ano do Cachorro, em 2018, os setores de varejo e bufê da China registraram US$ 146 bilhões em receitas, um recorde e um aumento de 10,2 por cento em relação ao ano anterior.

O período de comemoração de 2019 também parece vantajoso para as empresas de varejo, apesar das preocupações com uma possível desaceleração no setor de luxo. Os resultados trimestrais da LVMH mostraram uma demanda contínua por bolsas e pelo conhaque Hennessy na China, a segunda maior economia do mundo. O conglomerado francês divulgou uma receita superior às expectativas para o quarto trimestre, sendo que a divisão de moda e artigos de couro apresentou ganho de 17 por cento nas vendas.

Se você quiser entrar no espírito, leve em conta que a entrega de presentes pelo ano-novo segue algumas regras culturais. A tradição determina que os seguintes itens não devem ser dados como presente: objetos pontiagudos (cortam o relacionamento), qualquer coisa com o número quatro (associado à morte), sapatos (que significam "maldade" em mandarim e "suspiro" em cantonês), lenços (adeus), guarda-chuvas (má sorte, soa como "separação" em mandarim), relógios (associados à morte) e espelhos (atraem fantasmas), segundo a empresa de viagens China Highlights.