menu
Topo

Moda

Loja de roupa on-line prospera com mulheres no comando

Getty Images/iStockphoto
Mulher em loja de roupas Imagem: Getty Images/iStockphoto

William Mathis

Da Bloomberg

22/11/2018 17h51

A varejista de moda britânica Sosandar está registrando grandes retornos para os acionistas porque as mulheres que comandam a marca se conectam com o público-alvo.

A empresa com sede em Wilmslow, na Inglaterra, cresceu rapidamente desde que abriu o capital há um ano. Contrariando a melancolia que assola os varejistas tradicionais do Reino Unido, a receita da Sosandar registrou um crescimento de mais de 400 por cento no período de seis meses terminado em setembro.

Veja também: 

As fundadoras Julie Lavington e Ali Hall aproveitaram a oportunidade para atrair mulheres de sua idade que estão insatisfeitas com as redes de moda estabelecidas, mas não encontram as roupas certas em lojas on-line voltadas ao público jovem. Os maiores compradores da empresa são mulheres entre 35 e 55 anos.

"Somos duas mulheres que fazem parte do público-alvo", disse Lavington, uma das CEOs, por telefone. "Nós conhecemos e entendemos nossas clientes."

A empresa ainda é pequena, com um valor de mercado de cerca de 40 milhões de libras (US$ 51 milhões), mas suas ações quase dobraram neste ano. A companhia teve o segundo melhor desempenho entre as ações de varejo e consumo do Reino Unido, atrás do supermercado Ocado Group, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Grande investimento

A Sosandar oferece itens clássicos, como casacos de pele de onça sintética por 139 libras e vestidos de veludo azul-escuro por 79 libras. A empresa pretende conquistar clientes das lojas de departamento britânicas em dificuldades, como Debenhams e Marks & Spencer, à medida que elas tentam vender mais pela internet.

A novata está investindo muito para alimentar a expansão e registrou um prejuízo de quase 2 milhões de libras no período de seis meses, informou a empresa nesta semana. À medida que as vendas crescem, a companhia espera se tornar rentável e expandir-se para fora do Reino Unido, na Europa e nos EUA, disse Lavington.

Por enquanto, o crescimento da receita da Sosandar, em vez do lucro, estimulará o apetite dos investidores, de acordo com John Stevenson, analista de varejo da Peel Hunt. As vendas, a crescente base de clientes e a melhora na taxa de conversão são sinais encorajadores, disse ele.

Lavington e Hall trabalham na indústria da moda britânica há décadas, mais recentemente dirigindo a revista Look. A Sosandar começou a ser negociada em novembro do ano passado, após uma aquisição reversa da extinta empresa de mineração Orogen, um procedimento que as pequenas empresas podem usar para entrar no mercado de ações sem realizar uma oferta pública inicial.

As executivas são uma exceção em um setor que atende a mulheres, mas tende a escolher homens como líderes. As mulheres administram apenas dois dos 27 membros do FTSE All-Share General Retailers Index: a varejista de artigos para reformas domésticas Kingfisher e a empresa de cartões Card Factory. Homens estão no comando de lojas de roupas como Debenhams, Marks & Spencer e Asos.