Topo

Diversidade

Netflix contrata executivo para abordar problema de diversidade

Divulgação/Netflix
Fachada do escritório da Netflix, em Los Angeles Imagem: Divulgação/Netflix

Lucas Shaw

Da Bloomberg

28/06/2018 16h57

A Netflix, que demitiu seu principal porta-voz na semana passada por comentários racistas, está reformulando seu trabalho em recursos humanos para criar uma força de trabalho mais parecida com seus clientes globais: menos masculina, mais latina e mais negra.

A plataforma contratou um executivo para liderar sua campanha de diversidade e inclusão após uma busca que durou meses, segundo a empresa, que preferiu não revelar o nome da pessoa. A vaga foi publicada no site da companhia há apenas duas semanas.

Veja também: 

Assim como muitos de seus pares do Vale do Silício e de Hollywood, a Netflix emprega uma força de trabalho que não é representativa da população dos EUA e muito menos de sua crescente base global de clientes. Apenas um do total de executivos do sexo masculino que participa das conferências trimestrais de lucros com os investidores não é branco.

A Netflix está no último lugar entre 10 estúdios em termos da diversidade de seus diretores de cinema e TV, de acordo com um estudo do Directors Guild of America. Apenas 29 por cento dos episódios em seu serviço foram dirigidos por mulheres ou pessoas de cor, em comparação com uma média de 38 por cento em todo o setor. 

A maioria dos programas da Netflix é produzida por outros estúdios, por isso o estudo incluiu apenas uma parte dos programas emitidos pela Netflix. E, nos últimos 30 dias, dois executivos de desenvolvimento negros deixaram a empresa, de acordo com relatórios publicados.

Na semana passada, a gigante de streaming de vídeo com sede em Los Gatos, na Califórnia, demitiu seu diretor de comunicações, Jonathan Friedland, por usar uma linguagem racista mais de uma vez no ambiente de trabalho. Friedland usou primeiro uma palavra pejorativa para referir-se a negros ao falar sobre linguagem apropriada e depois novamente com executivos de recursos humanos.

"Procuramos ser excelentes em inclusão, em muitas dimensões, e esses incidentes mostram que, na melhor das hipóteses, somos desiguais", escreveu o CEO Reed Hastings, no memorando em que explicou a demissão de Friedland aos funcionários. "Já começamos a trabalhar com especialistas externos para nos ajudarem a aprender mais rápido."

Iniciativas em favor da diversidade

As iniciativas da empresa para impulsionar a diversidade são anteriores a esses incidentes.

A Netflix adotou a inclusão como parte de suas políticas corporativas há alguns anos e passou grande parte do último ano revisando seu treinamento em toda a empresa, de acordo com uma pessoa com conhecimento do assunto.

No início deste ano, a empresa lançou uma iniciativa chamada "Strong Black Lead", para chamar a atenção para projetos com afro-americanos em cargos importantes.

Mais recentemente, a Netflix promoveu seus esforços em prol da diversidade com uma propaganda durante o BET Awards, em 24 de junho. O anúncio contou com as estrelas e os criadores dos seriados "Luke Cage", "Dear White People" e "She's Gotta Have It", entre outros.

O novo executivo não terá como tarefa desenvolver uma estratégia única para implementar em toda a empresa, disse a pessoa, que pediu para não ser identificada ao discutir práticas internas. O novo contratado trabalhará com escritórios locais, de São Paulo a Mumbai, para estabelecer as melhores práticas de contratação e inclusão.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!