Universa

Arquiteto japonês cria catedral de papelão na Nova Zelândia

Reprodução BBC
A catedral de Christchurch, arrasada por um terremoto em 2011, será substituída por uma igreja de papelão Imagem: Reprodução BBC

28/12/2012 12h53

A catedral de Christchurch, na Nova Zelândia, que foi arrasada por um terremoto em 2011, será substituída por uma igreja de papelão. A nova catedral é um projeto do arquiteto Shigeru Ban, um pioneiro na chamada ''arquitetura de emergência'', em que estruturas podem ser rapidamente erguidas em zonas de desastres.

''Quando eu comecei a fazer isso, em 1986 ninguém falava de temas ambientais, ecologia, arquitetura verde. E aí isso virou moda. Não comecei a fazer isso por uma estratégia comercial ou ambiental, era um material reciclável, que a gente podia voltar a usar. A moda veio depois'', afirma Ban.

Construída a partir de tubos de papelão revestidos com poliuretano à prova de água e bloqueadores de fogo, a nova estrutura poderá abrigar 700 pessoas. Em princípio, a estrutura deverá funcionar por apenas dez anos, até que uma nova igreja seja construída.

Mas Ban espera que a resposta entusiasmada à sua catedral de papelão na Nova Zelândia poderá fazer com que ela se torne permanente.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo