Universa

Consumidores são mais pão-duros quando pagam à vista, diz estudo

08/09/2008 12h23

Quatro estudos americanos sugeriram que consumidores acabam gastando menos quando pagam à vista, em relação a quando pagam usando crédito.

Além disso, elas também gastam menos quando precisam estimar seus gastos de forma mais detalhada, indicaram as pesquisas.

"Quanto mais transparente o fluxo de dinheiro, maior a aversão ao gasto, ou maior a 'dor do gasto'", resumiram os pesquisadores, em um artigo na revista científica "Journal of Experimental Psychology: Applied".

Os cientistas da Stern Business School, da Universidade de Nova York, e da Smith School of Business, da Universidade de Maryland, ambas nos Estados Unidos, pediram aos participantes dos estudos que examinassem vários cenários e respondessem a quanto gastariam pagando à vista ou usando outras formas de pagamento.

No primeiro estudo, em que 114 pessoas se depararam com o cenário de uma refeição em um restaurante, os resultados sugeriram que "as pessoas estão mais dispostas a gastar (ou pagar) mais quando usam cartão de crédito que quando pagam à vista", diz o estudo.

Para os cientistas, pagar à vista ressalta a "dor de gastar".

Dinheiro de brincadeira
No segundo estudo, 57 participantes estimaram os gastos com alimentos para um almoço de Dia de Ação de Graças, de maneira geral e item por item.

Os pesquisadores notaram que, independentemente da forma de pagamento, as pessoas tenderam a gastar menos ao detalhar seus gastos minuciosamente.

No terceiro estudo, 28 participantes que receberam uma lista de compras detalhada pareceram gastar mais se usassem um vale-compras no valor de US$ 50, em vez de US$ 50 em dinheiro.

No quarto estudo, 130 pessoas receberam uma nota de US$ 1 e um vale-compras no valor de US$ 1. No início, elas pareciam mais dispostas a gastar o vale-compras, disseram os pesquisadores, mas diminuíram seu impulso ao manter o vale-compras na carteira por uma hora - tratando-o como dinheiro em espécie.

"Os estudos sugerem que formas menos transparentes de pagamento tendem a ser tratadas como dinheiro de brincadeira e são, portanto, mais facilmente usadas", escreveram os autores.

Para eles, esta conclusão reforça a necessidade de autoridades advertirem consumidores para "manipulações" capazes de "alterar o comportamento de gastos".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo