Universa

Prática de exercícios por funcionários ajuda os negócios, diz instituto

28/05/2008 12h29

O Instituto Nacional de Saúde e Excelência Clínica britânico (Nice, na sigla em inglês) lançou uma campanha com recomendações para que empresas promovam o exercício entre seus funcionários, afirmando que a prática renderia lucros para os negócios.

De acordo com o Nice, 65% dos homens e 76% das mulheres acima dos 16 anos não se exercitam o suficiente na Grã-Bretanha, segundo as recomendações do governo (pelo menos meia hora diária de exercícios moderados, cinco vezes por semana).

"Além de beneficiar os funcionários, uma força de trabalho saudável pode resultar em benefícios financeiros para os empregadores, incluindo o aumento de produtividade e menor ausência por causa de doenças, além de maior retenção dos funcionários", disse Peter Littlejohns, um dos autores das recomendações do instituto independente, ligado ao serviço de saúde pública.

"Com a classe trabalhadora passando 60% de seu tempo no trabalho, segundo estimativas, muitos empregadores já reconhecem sua responsabilidade pela saúde e bem-estar de seus empregados."

Saúde
O Nice ressalta que a prática de exercícios ajuda a evitar ou administrar condições e doenças como doenças coronárias, diabetes e alguns cânceres.

"Estima-se que a inatividade física custe 8,2 bilhões de libra por ano, o que inclui custos indiretos causados por faltas ao trabalho de empregados por conta de problemas de saúde", disse Dale Robinson, membro do Nice.

O instituto afirma que a obesidade também é causada, em parte, pela falta de atividades físicas, custando aos cofres britânicos outros estimados 2,5 bilhões de libras.

Entre as recomendações do Nice está estimular os funcionários a se locomover de forma mais saudável, procurando caminhar ou pedalar em parte - ou totalidade - do percurso de e para o trabalho, além de usar escadas em vez de elevadores.

O Nice ainda destaca os benefícios não quantificáveis dos exercícios para os negócios, que incluem aumento de produtividade de funcionários quando programas de benefício à saúde são implementados nas empresas; melhor reputação da empresa por promover o bem-estar dos funcionários que, em conseqüência, a tornaria mais atraente para futuros candidatos e melhoria no trabalho em equipe.

Além disso, o governo britânico oferece benefícios fiscais para as empresas que promovem exames de saúde para todos os funcionários.

Segundo as recomendações, uma força de trabalho ativa e saudável pode diminuir o número de ausências por conta de problemas de saúde em 27%, e ausências em geral em 20%.

Em 2006, foram perdidos 175 milhões de dias de trabalho na Grã-Bretanha, por causa de faltas de funcionários doentes. Em média, trabalhadores na Grã-Bretanha faltam 8,4 dias de trabalho por ano por conta da saúde.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo