Universa

Região da Índia 'troca licença de armas por vasectomia'

21/03/2008 11h21

O distrito de Shivpuri, no centro da Índia, encontrou uma solução para a resistência dos homens locais em adotar a vasectomia como forma de controle de natalidade.

O governo distrital prometeu acelerar a concessão de licença de porte de armas para os homens que se submeterem à operação, segundo informações publicadas pelo diário The Telegraph, de Calcutá.

Os homens do distrito, segundo o jornal, são famosos por sua cultura machista e pelo amor às armas de fogo, usadas para se defender do alto número de dacoits - ou bandidos - que povoam a região.

As autoridades de saúde buscavam formas de tentar incentivar a vasectomia como forma de conter o alto número de natalidade do país - e assim surgiu a idéia de facilitar o acesso a essas armas oferecendo a operação em troca.

O incentivo para aumentar o número de vasectomias partiu do governo central da Índia. Com a população crescendo a um ritmo de 1,5% ao ano, e uma taxa de natalidade de cerca de cinco filhos por casal, especialistas temem que comece a faltar comida no país, onde a população triplicou desde os anos 40.

Segundo o jornal, apenas oito homens optaram pelo procedimento no ano passado, mas, com a nova medida, eles estão fazendo fila para serem esterilizados.

"Este ano, desde que eu ofereci a preferência para a licença de armas, mais de 150 homens já foram esterilizados. Eu espero outros 100 até o fim do mês", disse ao jornal o chefe administrativo do distrito e autor da idéia, Manish Srivastva.

Srivastva procurava entender por que os homens não adotavam o simples procedimento, quando teve a idéia.

"Eu imagino que tenha a ver com a noção que eles têm de masculinidade. Eu decidi então combiná-la com um símbolo ainda maior de masculinidade, uma licença para armas", disse Srivastva.

Capacidade intacta
Especialistas em saúde masculina garantem que a operação não interfere na capacidade sexual do paciente, já que ela apenas envolve o corte de um pequeno corte nos ductos deferentes, suspendendo o envio de espermatozóides par aos testículos.

Com a cirurgia, o homem deixa de ejacular espermatozóides, tornando-se estéril.

"Eu não vejo sequer uma analogia entre os vasos deferentes e as armas", disse o andrologista Sudhakar Krishnamurthy, de Hyderabad.

Mas o administrador de Shivpuri afirma que o plano funcionou, principalmente por conta da cultura de armas do distrito.

De acordo com o Telegraph, armas são uma necessidade e um símbolo de status na região. Apenas em Shivpuri há 11 mil armas licenciadas. Nos distritos vizinhos de Bhind, há 19 mil e em Morena, outro distrito da região, há 15 mil.

Segundo os moradores locais, o número de armas ilegais em circulação é praticamente o mesmo.

Críticos temem que com o aumento das licenças de armas, o número de crimes aumente ainda mais, mas Srivastva responde dizendo que pode negar as licenças, ou revogá-las.

Anteriormente, o governo de Shivpuri, onde moram cerca de 1,4 milhão de pessoas, havia oferecido incentivos financeiros para quem se apresentasse para a operação, e para os que "convencessem" os pacientes, mas isso não foi suficiente.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo