Universa

Fertilidade masculina 'é decidida no útero materno', diz estudo

17/03/2008 11h15

Os problemas de fertilidade masculina são determinados no útero materno, sugeriu pesquisa da Universidade de Edimburgo, na Escócia.

Distúrbios genitais comuns como baixa contagem de espermatozóides no esperma e câncer testicular podem estar ligados a níveis de hormônios nos primeiros estágios da gravidez, concluíram os pesquisadores depois de realizarem estudos com ratos de laboratório.

Descobriu-se que níveis de hormônios masculinos, tais como a testosterona, em um período crítico entre 8 e 12 semanas de gestação determina a futura saúde reprodutiva do feto. Os resultados da pesquisa foram publicados no Journal of Clinical Investigation.

Problemas com o desenvolvimento reprodutivo tais como testículo retido que não desce adequadamente ao escroto (criptorquidismo) ou a abertura do trato urinário no lugar errado do pênis (hipospádias) são razoavelmente comuns em meninos pequenos.

Acredita-se que outros distúrbios, tais como baixa contagem de espermatozóides e câncer testicular, seguiriam pela mesma rota.

Medida crítica
Os pesquisadores descobriram ainda que os níveis de hormônios masculinos - andrógenos - no período de 8 a 12 semanas da gravidez está relacionado à distância entre a base do pênis e o ânus.

Esta medida pode ser um sistema antecipado de alerta para problemas reprodutivos futuros em bebês do sexo masculino, disseram os cientistas.

A chefe do estudo, Michelle Welsh, disse: "Nós sabemos de outros estudos que os andrógenos funcionam durante o desenvolvimento do feto para programar o trato reprodutivo."

"Mas nossa suposição é de que seria muito mais tarde na gravidez."
Welsh acrescentou que a medida entre o ânus e o órgão genital pode ser uma ferramenta útil.

"Digamos que um médico examine um homem de 30 anos com câncer testicular - anteriormente não haveria meios de ele saber a quais hormônios ele tinha sido exposto no útero."

"Nós sugeriríamos que esta medida, mesmo em um estágio mais tardio na vida, pode oferecer uma indicação da exposição a hormônios."

"Por exemplo, quanto menor a distância, menos confiantes podemos estar de que os hormônios agiram corretamente e na hora certa."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo