Topo

Universa

Londres estuda veto a modelos menores de 16 anos

11/07/2007 17h44

Adolescentes com menos de 16 anos deveriam ser proibidas de trabalhar na Semana da Moda de Londres, segundo um inquérito encomendado pela indústria da moda britânica.

O Inquérito sobre a Saúde de Modelos foi produzido com o objetivo de oferecer recomendações aos organizadores do evento.

O relatório interino do inquérito, divulgado nesta quarta-feira, cita a morte da modelo brasileira Ana Carolina Reston, por anorexia, em novembro de 2006, a proibição de modelos com menos de 16 anos no São Paulo Fashion Week, em dezembro, e a exigência de atestados de saúde das modelos, além de outros casos pelo mundo.

A Semana da Moda de Londres, em setembro, também está sob pressão daqueles que temem o uso de mulheres extremamente magras em desfiles.

O painel de especialistas do Inquérito sobre a Saúde de Modelos, produzido de forma independente e estabelecido para investigar problemas de saúde entre modelos, também pediu mais proteção para modelos que têm 17 e 18 anos.

Mas o painel descartou a pesagem de modelos porque a medida foi considerada ineficaz em outros países e poderia ser "contraproducente".

O grupo ainda decide se vai aconselhar a checagem do Índice de Massa Corporal, ou a taxa que relaciona a altura e o peso, antes da contratação das modelos.

O inquérito também destaca a necessidade de proteção de modelos mais jovens e pede o estabelecimento de um sindicato para a profissão.

"Durante nossas investigações, os membros do painel ficaram cada vez mais preocupados quando ouvimos mais detalhes a respeito das condições de trabalho enfrentadas por muitas modelos e a vulnerabilidade de jovens mulheres trabalhando em um ambiente de trabalho sem regulamentação e pouco monitorado", disse a presidente do painel, a baronesa Denise Kingsmill.

"Recebemos provas médicas impressionantes a respeito da predominância e do impacto de distúrbios alimentares em certas indústrias de alto risco." "Também existe uma preocupação com o fato de que é profundamente inapropriado que meninas abaixo dos 16 anos sejam mostradas como mulheres adultas", acrescentou. "O risco de sexualizar estas crianças é alto e os estilistas podem se arriscar a ser acusados de exploração sexual." Membros do painel também pediram por um estudo científico rigoroso a respeito da predominância de distúrbios alimentares entre as modelos.

O Conselho Britânico de Moda indicou que vai aceitar as recomendações finais do inquérito, quando o documento for publicado em setembro, a tempo para a próxima Semana da Moda de Londres.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa