menu
Topo

Direitos da mulher

Presidiárias participam de concurso de curtas em Veneza

Getty Images
Evento acontece até 8 de setembro Imagem: Getty Images

Francesca Gallo

Da ANSA, em Roma

23/08/2018 16h00

Mãos, pés e vozes fora de enquadramento. A maioria com sotaque estrangeiro. Nenhum rosto. Essas foram as difíceis regras seguidas por diretoras "invisíveis" detidas na penitenciária de Rebibbia, em Roma, para realizar quatro curtas-metragens de três minutos de duração.   

Uma criatividade compulsiva toma conta dessas jovens, que frequentam a Escola Artística Estatal Enzo Rossi, da cadeia romana feminina. Elas concorrem com suas obras na 7ª Edição do Prêmio Bookciak, Azione!, evento de pré-estreia das "Jornadas dos Autores" ("Venice Days"), mostra paralela ao Festival de Cinema de Veneza (29 de agosto-8 de setembro).   

Veja também

O concurso é voltado principalmente para jovens cineastas e dá a oportunidade de projetar, em caso de vitória, o próprio curta na Mostra de Veneza. Todos os projetos são inspirados em livros.   

No caso das detentas, que não podem mostrar o próprio rosto e não poderão comparecer a Veneza, o instituto carcerário designará um representante dentre os docentes e funcionários. A premiação acontecerá na véspera do início do Festival de Veneza, em 28 de agosto. Assim como os outros concorrentes, as presidiárias tiveram de tirar dos livros a inspiração para suas produções.   

As obras escolhidas foram: "L'estate muore giovane", de Mirko Sabatino, que conta a formação de três garotos de 12 anos na Puglia de 1963 e inspirou o curta "Come Creta", de e com Renata S., Martina M., Maria Chiara E. e Julieta D.; e "Dal tuo terrazzo si vede casa mia", do escritor albanês naturalizado italiano Elvis Malaj, sobre identidade e racismo, que deu origem a "Scarpe", de e com Catalina B., Edith C., Gabriella C., Cristina D., Maria Chiara E., Zhura H., Elena M., Martina M., Hasnja O., Gabriela P., Gloria T., Renta S. e Julieta D. Por fim, "Lo marinaro, la vita avventurosa di un migrante del mare", de Mario Foderà, história de um velho sindicalista que recolhe as memórias dos marinheiros e dos migrantes, inspirou dois curtas: "U mari", de e com Gabriella P., Gabriella C., Elena M. e Gloria T.; e "La leggenda del migrante", de e com Maria Chiara E. e Zhura H.   

Ao escolher esse último livro, participa-se automaticamente de uma seção especial do prêmio, Memory Ciak, dedicada à memória e realizada em colaboração com o sindicato dos aposentados italianos. O vencedor dessa seção será acolhido como "hóspede de honra" no concurso internacional de curta-metragem Spi-Story, organizado pela própria entidade.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!