menu
Topo

Diversidade

Bermudas se tornam 1º território a revogar casamento gay

Getty Images
A decisão representa um retrocesso dos direitos LGBT inédito no mundo Imagem: Getty Images

da ANSA, em São Paulo

09/02/2018 10h06

Meses após permitir o casamento entre pessoas de mesmo sexo, as Ilhas Bermudas voltaram atrás e revogaram a autorização nesta quarta-feira (7), tornando-se o primeiro território a abolir o matrimônio homossexual depois de tê-lo legalizado.

Em maio de 2017, a Corte Suprema determinou que o território britânico ultramarino passaria a aceitar a união igualitária, medida que foi comemorada pela comunidade LGBT, mas criticada por cidadãos conservadores, como o legislador Chris Bryant, que qualificou o projeto como " profundamente desagradável e cínico".

Veja também

A nova diretriz recebeu apoio da maioria no Senado e partiu do governador das Bermudas, John Rankin. De acordo com o jornal local "The Royal Gazette", o ministro do Interior Walter Brown — cujo partido propôs a mudança na lei — disse que estava satisfeito com a decisão, reafirmando "que o casamento deve ser entre um homem e uma mulher".

Para a comunidade LGBT local, a medida desrespeita seus direitos. Ainda assim, os casais que oficializaram a união até então, seja em território ultramarino ou fora da ilha, não terão seus matrimônios anulados.

O casamento gay entrou em pauta nas Bermudas em maio de 2017, porém começou a valer oficialmente em novembro do mesmo ano, tendo durado apenas três meses.