Topo

Direitos da mulher


Anunciado em 2013, novo hospital Pérola Byington deve ficar pronto em 2022

Amanda Perobelli/Universa
Alessandra Giovanini, medica e coordenadora do núcleo de aborto legal do Hospital Perola Byington, em São Paulo Imagem: Amanda Perobelli/Universa

Paula Felix

São Paulo

2019-06-02T09:45:09

02/06/2019 09h45

Anunciado em 2013, o novo Hospital Pérola Byington, que será transferido da Bela Vista para a Avenida Rio Branco, deve começar a ser construído em julho, segundo o governador João Doria (PSDB).

O anúncio foi feito neste sábado (1), após o prefeito Bruno Covas (PSDB) informar que a Prefeitura de São Paulo vai ceder para o Estado um terreno, por tempo indeterminado, para a construção da unidade, que é referência em saúde da mulher.

"Já estamos com o projeto executivo pronto e recursos definidos. Vamos tratar de iniciar a obra imediatamente. Já em julho poderemos iniciar as obras do novo hospital", afirma Doria.

O anúncio de que o hospital funcionaria na região da Cracolândia foi feito em 2013, ainda na gestão Geraldo Alckmin (PSDB). No ano seguinte, a Parceria Pública-Privada (PPP) para construção da unidade foi contratada. Na época, a meta era entregar o hospital em até três anos, mas as obras não foram iniciadas.

"A complexidade da desapropriação gerou esse atraso. São várias matrículas e proprietários diferentes. Todo mundo sabe que o centro da cidade tem uma complexidade fundiária, de você achar quem é o verdadeiro dono, e o Estado tem de trabalhar dentro da legalidade. Demorou mais do que a gente esperava, mas o importante é que a obra está começando nos próximos dias", diz o secretário de Governo e vice-governador, Rodrigo Garcia.

De acordo com ele, faltavam ainda dois passos para que os trabalhos fossem iniciados: o terreno doado pela Prefeitura e a aprovação do conselho de Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS), tendo em vista que o hospital funcionará em uma dessas áreas, que abrigam pessoas de baixa renda. "O Estado participou com a Prefeitura, discutiu com a comunidade e o conselho aprovou a construção do hospital."

O vice-governador afirma que o hospital vai contribuir para a revitalização da região. "A ocupação urbana é o caminho para melhorar o ambiente. Começou com a PPP da Habitação, em frente à Sala São Paulo. Agora, o hospital. Tem de dar vida e colocar equipamentos que funcionem 24 horas para ter uma melhor ocupação urbana. Não é só com serviços e comércio que vai resolver. Tem de botar uso misto para que o centro volte a ter vida."

A previsão é de que as obras sejam finalizadas em 2022 e o investimento será de R$ 306,7 milhões.

O novo hospital terá 148 leitos de internação, 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 14 salas de centro cirúrgico e seis salas de cirurgia ambulatorial.

Escolas e praças reformadas

Ainda neste sábado, o governador anunciou projetos para a reforma de escolas estaduais e áreas verdes, como parques, jardins e canteiros urbanos.

No projeto Escola +Bonita, serão 1.384 escolas vão passar por obras nas partes elétrica e hidráulica nos próximos três anos. O investimento será de R$ 1,1 bilhão.

"O objetivo é manter as aulas e, nos períodos de férias, as obras serão aceleradas. Mas não tem como fazer (as obras) apenas nas férias", explica Rossieli Soares, secretário estadual da Educação.

A capital será o primeiro local a receber o programa SP +Bonito, que tem como foco a revitalização de áreas verdes. Na cidade de São Paulo, 200 áreas foram selecionadas para o projeto, que será ampliado para cidades com mais de 250 mil habitantes. Empresas privadas vão ser responsáveis por serviços de limpeza, poda e manutenção de canteiros.