menu
Topo

Violência contra a mulher

Patrick Demarchelier e outros nomes da moda são acusados de assédio sexual

Getty Images
Patrick Demarchelier e Carla Bruni, em evento em Paris Imagem: Getty Images

da AFP

17/02/2018 12h45

O jornal "Boston Globe" fez uma revelação explosiva nesta sexta-feira (16), ao denunciar mais de duas dezenas de profissionais da indústria da moda, entre eles o lendário fotógrafo francês Patrick Demarchelier, por má conduta sexual.

A equipe de jornalismo investigativo do jornal, chamada Spotlight, que em 2002 revelou casos disseminados de abuso sexual por parte de sacerdotes católicos em Boston, revelou que mais de 50 modelos detalharam supostos atos de má conduta sexual dos quais foram vítimas, variando de toques impróprios a agressões.

Veja também:

Coletivamente, as vítimas apresentaram queixas contra pelo menos 25 fotógrafos, agentes, estilistas, diretores de casting e outros profissionais da indústria, noticiou o "Globe".

Entre os acusados está o badalado Demarchelier, o também fotógrafo Greg Kadel, que trabalhou para Victoria's Secret e Vogue, Seth Sabal, Andre Passos e o estilista Karl Templer, que trabalhou com as marcas Coach, Zara e Tommy Hilfiger.

O jornal menciona ainda o fotógrafo francês David Bellemère, acusado por duas mulheres. Uma delas - a modelo americana Madisyn Ritland - afirma que ele introduziu sua língua à força em sua boca e tocou em seus seios sem seu consentimento.

De acordo com o "Boston Globe", a Victoria's Secret deixou de trabalhar com ele desde o outono (hemisfério norte) de 2016, após as queixas das modelos. Procurada pela AFP, a casa matriz da VS, a Limited Brands, não fez comentários até a publicação desta matéria.

Já Bellemère disse à AFP que "a história da Victoria's Secret é um grande mistério" para ele.

"Se livraram de mim friamente sem explicação", afirmou, acrescentando que "talvez agora eu vá, enfim, saber quem mente e porque".

Segundo o jornal, todos os citados negaram as acusações.

No entanto, o império editorial Condé Nast, que inclui a revista Vogue, informou que parou de trabalhar com Demarchelier e Kadel.

Patrick Demarchelier, de 74 anos, foi acusado de assédio sexual por sete mulheres, cujo depoimento foi colhido pelo jornal.

O "Globe" evoca, principalmente, o caso de uma ex-assistente do fotógrafo veterano. Mantendo sua identidade em sigilo, ela contou ter cedido às insistentes investidas do chefe por medo de comprometer seu futuro profissional, se continuasse dizendo não.

Ela também contou ter pedido à diretora artística do grupo Condé Nast, a respeitada Anna Wintour, que não deixasse que o fotógrafo trabalhasse com modelos jovens.

O "Boston Globe" aponta ainda outras seis mulheres que acusam o francês de assédio sexual. Uma delas conta que ele pôs a mão entre suas partes genitais, e outra, que ele a agarrou pelos seios.

A AFP pediu um comentário de Demarchelier sobre o caso, mas não obteve resposta.

O francês é um dos mais renomados fotógrafos de moda e do mundo do espetáculo. Algumas de suas fotografias da princesa Diana, de Madonna, ou de Angelina Jolie, deram a volta ao mundo.

Este não é a primeira vez que acusações de assédio surgem no mundo da moda. Depois do escândalo com o produtor de Hollywood Harvey Weinstein, vários fotógrafos de moda consagrados foram alvo de acusações de mesmo teor, principalmente Bruce Weber, Terry Richardson e Mario Testino.

Vários clientes, incluindo o Condé Nast, informaram publicamente que não trabalharão mais com eles.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!