Universa

Supremo da Índia avança para a descriminalização da homossexualidade

iStock/ Pekic
Imagem: iStock/ Pekic

09/01/2018 10h48

O Supremo Tribunal da Índia anunciou nesta segunda-feira (8) que irá reexaminar um artigo de lei da época colonial que criminaliza a homossexualidade, um passo em direção à sua possível descriminalização.

Veja também


"Uma parcela de pessoas ou indivíduos que exercem sua escolha não deveriam viver nunca em um estado de medo", declarou a mais alta instância judicial indiana ao encaminhar o assunto a um painel de juízes.

Este anúncio era aguardado desde um julgamento histórico do Supremo Tribunal no verão passado sobre o direito à vida privada, em que incluiu a orientação sexual, preparando o terreno para uma reconsideração da constitucionalidade do artigo 377 do Código Penal, que data de meados do século XIX, herança da colonização britânica.

O mesmo Supremo Tribunal tinha anulado em 2013 um julgamento do Alto Tribunal de Nova Délhi que descriminalizava a homossexualidade. Dois juízes da instituição estimaram então que cabia aos legisladores, e não à justiça, fazer com que a lei sobre este tema evoluísse.

Esta ação é um novo capítulo em várias décadas de combate da comunidade LGTB contra o artigo 377, que proíbe qualquer "relação carnal contra a ordem da natureza".

"Cruzo os dedos. Devido ao julgamento sobre a vida privada, ao projeto de lei sobre os transgêneros, acredito que o ambiente parece ter mudado um pouco. Temos esperanças", declarou Anjali Gopalan, fundadora da ONG Naz Foundation, muito envolvida neste tema.

As ações judiciais por homossexualidade são muito raras na Índia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa

Topo