menu
Topo

Universa

Baile de época e borboletas estão na coleção primavera-verão da alta-costura

22/01/2008 12h36

PARIS, 21 Jan 2008 (AFP) - O desfile da Christion Dior, assinado por John Galiano, foi apresentado sob forma de um baile de época, com vestidos de cores brilhantes e ricamente bordados numa noite em que o português Felipe Oliveira Batista se inspirou em mariposas para propor um vestuário leve e refinado.

Com estes destaques, os dois estilistas apresentaram suas coleções de alta-costura de primavera-verão 2008 nas passarelas parisienses.

Numa tenda armada no Bois de Boulogne, em Paris, as damas de época desfilaram de tailleur e ricos vestidos, entre cortinas acinzentadas. A coleção suntuosa esteve marcada por cores brilhantes, cascatas de seda, bordadas de ouro, cristal e azeviche.

A silhueta jogava com os contrastes: paletós avolumados nas costas se contrapunham com saias estreitíssimas ou longos vestidos desenhando o corpo. Junto a eles, roupas com bustos ajustados unindo-se a saias largas e esvoaçantes.

O corte é fino, às vezes destacado por abas ou, ao contrário, esfumaçado por vestidos que recaem como corolas sobre os seios. As ondas luminosas retêm metros e metros de seda bordada e, nas costas, enormes flores de seda sobrecarregam as orlas ou se concentram nas dobras de uma gola em camadas.

Os bordados desenham arabescos de ouro, formas douradas lembram as pinturas de Gustav Klimt, com motivos geométricos.

No texto que acompanhava o desfile, Jonh Galliano disse ter se inspirado no retrato de Amélie Gautreau que se apresenta num vestido decotado - um quadro pintado no século XIX pelo americano Singer Sargent que, na época, foi considerado um escândalo.

Muitas celebridades assistiram ao desfile, notadamente a atriz Diane Kruger, a modelo e dançarina Dita Von Teese.

Longe deste universo, o português Felipe Oliveira Baptista apresentou uma coleção com inspiração na natureza e nos animais. Desta vez foram as mariposas, mas "não as tratei como se faz normalmente, de forma romântica. Quis mostrar algo gráfico e pictórico do desenho de suas asas".

Especialista em volumes, Batista também os traz desta vez, mas em formas menos espetaculares.

O resultado é uma série de vestidos curtíssimos, de saias fluidas e estampadas, corte e ombros ressaltados por apliques e sobreposições. Jaquetas curtas se ajustam ao corpo sobre calças estreitas que se alargam mais abaixo. A seda, o algodão, o coro e as saias se mesclam alegremente nos modelos.

Os casacos também são curtos, ajustados nos quadris. Um amplo abrigo de comprimento irregular é enfeitado com grandes bolsos e com peles na gola.

Na palheta de cores, o estilista opta pela mais difícil das combinações, o negro e o azul escuro, alegrados com os tons dos estampados e dos apliques: verde, amarelo, vermelho.

Já Marcel Marongiu traz de volta às passarelas os anos 80 em sua primeira coleção para a casa Guy Laroche. O estilista propõe vestidos cintados de ombros largos ou pontiagudos, mangas drapeadas. A sensualidade se expressa em saias com cortes vertiginosos, longas luvas e decotes profundos.

Mais Universa