Topo

Universa

Kate Moss precisa conhecer vítimas da droga, diz vice-presidente colombiano

02/11/2006 18h11

LONDRES, 2 nov (AFP) - O vice-presidente colombiano Francisco Santos sugeriu nesta quinta-feira, em Londres, que a supermodelo Kate Moss, filmada ano passado supostamente cheirando cocaína, deveria conhecer as vítimas da droga na Colômbia.

"Infelizmente há uma glorificação da cocaína, e Kate Moss personifica essa atitude, sem se dar conta de que a droga está untada de sangue de cima a baixo", afirmou Santos, que viajou a Londres acompanhado por cinco mulheres vítimas da violência praticada por grupos armados financiados com o narcotráfico.

As cinco mulheres, entre elas uma jovem mutilada por mina, que foi mantida refém durante vários anos por um grupo armado, outra que perdeu o irmão e a sua melhor amiga num atentado, uma deslocada, contaram em Londres sua história, para fazer lembrar aos britânicos que a cocaína que consomem significa morte, sangue, violência e destruição na Colômbia.

"Gostaria que Kate Moss reservasse cinco minutos de seu tempo para conhecer essas cinco mulheres, para que contassem a ela o que uma noite de festa, ou de cocaína, causa na Colômbia", declarou Santos à AFP, depois de apresentar em Londres a campanha intitulada "a maldição da cocaína".

"A coca está sendo vista como se fosse champanhe, uma droga que não causa dano, a droga do sucesso", denunciou o político colombiano, ao apresentar a campanha para 13 dirigentes de organizações da luta contra os narcóticos na Europa.

O político colombiano rejeitou, no entanto, que estaria visando Moss especialmente, como anunciou o diário britânico Evening Standard.

"Pobre Kate Moss. Ela tem um problema. Mas personifica a atitude de que a cocaína é glamour, uma droga limpa, a droga do sucesso".

Segundo um informe recente da IDMU, Independent Drugs Monitoring Unit, quase 12% por cento da população de entre 15 a 34 anos na Grã-Bretanha consome cocaína, o que representa o percentual mais alto na Europa.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa