Universa

Não dá, gente! 7 coisas para se evitar na cama

Claudia Dias

Colaboração para o UOL

06/10/2017 04h00

Ninguém precisa saber o que se passa entre quatro paredes, a não ser você e seu par (ou pares - vai saber, né?). Mas ali dentro, com quem realmente interessa, algumas situações não são nada, nada bem-vindas! Simplesmente porque quebram qualquer clima de tesão. Para que o happy end seja em comum, melhor evitar alguns detalhes na cama...

* Os sobrenomes foram suprimidos a pedido dos entrevistados.

  • Exagerar no tapinha

    Tem quem goste de estimular a transa com algumas palmadinhas. Dica da consultora Débora: se ouvir pedido do gênero, dê um tapinha nas nádegas para (só) depois avançar, seguindo o comando do par. "Num encontro, levei um tapa na cara e odeio isso. Queria brincar, mas acabou o clima", revela. A fotógrafa Cintia aponta situação mais grave: "Dar soco na cara. Já vi isso em filme e achei um terror".

  • Errar o nome do par

    Quer começar uma guerra no quarto? Invente chamar @ parceir@ pelo nome de outra pessoa. Se for referência a ex-relações, então, melhor sair correndo dali. "Errar meu nome seria o fim", considera o gestor Roberto.

  • Dormir e não fazer nada

    Imagine a cena: aquela expectativa para um momento a sós e, de repente, o par vira para o lado e cai no sono. "Não fazer nada, nem antes, nem depois, é a pior coisa que poderia acontecer", avalia o vendedor Ricardo. Existe cenário mais tenso ainda? Experimente dormir DURANTE o ato. Acontece, pessoal?

  • Esquecer do antes

    A pior coisa que alguém poderia fazer na hora H, para a assistente financeira Renata, é se apressar demais, ignorando totalmente as preliminares. A consultora Débora concorda: "A coisa se torna bem chata sem o aquecimento; o interesse vai pelo ralo".

  • Usar meias

    Se você quer explorar seu lado sexy, nunca, jamais, em hipótese alguma considere dormir com alguém cobrindo apenas as partes íntimas e os pés. "Dormir de cueca e meias é péssimo. Se rola um clima, é fim de carreira", argumenta a redatora Eliane.

  • Acordar para uma DR

    Discutir a relação (apesar de necessário) já costuma ser ruim enquanto estamos alertas, no decorrer do dia. Fazer isso à noite, durante o sono, é pedir para acabar com o clima de uma vez por todas, como aponta o empresário Guilherme.

  • Dispensar o banho

    "Dormir ao lado de alguém 'sujinho', 'fedidinho', é o caos", classifica a professora de dança Renata*. Não é para menos: imagine abraçar alguém com cheiro desagradável ou, pior ainda, investir num oral sem um banho prévio. É para sair correndo mesmo!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Universa

Topo