Topo

Sexo

Dia do orgasmo: Universa testa 8 vibradores e revela impressões

Da Universa

31/07/2018 04h00

Hoje é Dia do Orgasmo, data para lembrar que gozar é coisa de mulher — e muito! Para celebrar, a reportagem da Universa testou oito vibradores renomados no mercado erótico e conta detalhes da experiência aqui. 

  • Divulgação

    Gozei em 10 minutos

    Sou inexperiente no mundo dos vibradores e não sabia da fama desse. Ainda fiz piada porque parece um microfone. Soube depois que o vibrador Rock (Nalone, da INTT, R$ 490) é objeto de desejo de várias mulheres. Nos primeiros segundos do teste, entendi o porquê. O modelo é conhecido como massageador varinha. A ideia é estimular a vulva por meio de vibrações. Dá pra enfiar também, mas achei meio grande. Preferi me concentrar na parte externa. O formato, a textura macia e os sete potentes níveis de vibração funcionam muito bem juntos. Imediatamente fez descarregar uma onda de prazer que chegou até meu pé. De repente, estava me contorcendo. O orgasmo veio minutos depois. Pra quem quer estímulos bem intensos e pode pagar, vale o investimento. (Camila Brandalise, repórter de Universa)

  • Divulgação

    Sete vibrações... Amém!

    Além de ser mega fofinho, o estimulador Fifi 2 (Nalone, da INTT, R$ 450) é ideal para quem curte masturbação clitoriana. Ele tem duas hastes, que devem ser acopladas no entorno do clitóris, massageando toda a região. São sete vibrações e a melhor é a contínua com maior intensidade. Foram três minutos até o ápice! O vibrador vem com um acessório que pode ser acoplado a ele, com o intuito de estimular, também, a região interna da vagina. Apesar de parecer uma boa ideia, deixou a desejar. Prefiro brincar com o Fifi, mesmo. (Talyta Vespa, repórter de Universa)

  • Divulgação

    Vontade de não parar

    Além de ter um design bacana que faz simpatizar (e querer usar) de cara, a cápsula e controle estimulador wireless luxo (Lovetoys, R$ 420) deixa vontade de não querer parar mais. E foi o que aconteceu! Que sensação boa de prazer, dadas as diferentes possibilidades de uso e intensidade. O controle estimulador, com dez tipos de velocidade (a mais intensa é melhor) tem umas cerdas gostosas, e enquanto você vai passando pelo corpo, seja no clitóris, seio ou onde mais quiser, a cápsula vai fazendo as vezes de um bullet. Ela também tem as mesmas dez velocidades que o controle. Para quem já é adepta ao pompoarismo ou sempre teve curiosidade, como eu, vai querer "esquecê-la" lá dentro. (Luiza Souto, repórter de Universa)

  • Superestimado

    Não foi dessa vez que o vibrador Stronig G (Fun Factory, R$ 1200) alegrou minha noite. Ele promete muito - simula o movimento de entra e sai do pênis em pulsações -, mas, na prática, deixa a desejar. Testei o produto por 30 minutos e nem sinal de um orgasmo. A Fun Factory garante que é um vibrador pensado para mulheres experientes em sex toys. É meu caso, mas não funcionou. (Talyta Vespa)

  • Divulgação

    Como um sexo oral bem feito

    Fiquei incumbida de testar o Volta (R$ 720, Fun Factory). O brinquedo tem seis velocidades e seis modos de vibração, vale ficar testando para encontrar aquele que mais te faz feliz. Eu fui do ritmo mais lento ao mais rápido, que me pareceu rápido mesmo e um tanto incômodo. Então, aposte em lubrificantes a base de água para brincar no modo pancadão. Também dá para variar a posição dos bicos, usar os dois mais próximos do clitóris, deixar um mais próximo da entrada da vagina, dos pequenos ou grandes lábios... Feito de silicone, o brinquedo é a prova d'água. O efeito dos bicos me lembrou um sexo oral bem-feito, que facilmente leva ao orgasmo. Indicaria quem quer descobrir até onde o clitóris é capaz de te levar. (Maiara Camargo, editora)

  • Divulgação

    Orgasmo intenso em 5 minutos

    O vibrador Ponto G com estimulador de clitóris (Lovetoys, R$ 166,40) se tornou meu melhor amigo em cinco minutos. Nunca fui muito fã de vibradores de penetração, acho bem sem graça, inclusive. Mas não foi o caso aqui. O estimulador de clitóris fez toda a diferença e eu gozei em cinco minutos - de forma tão intensa que arremessei o vibrador longe. É um produto simples, que funciona com pilha, mas não deixa a desejar em relação aos mais caros. São 10 velocidades e estilos de vibração e a que mais me agradou foi a contínua. (Talyta Vespa)

  • Divulgação

    Sensação delicada demais

    O minivibrador Amorino (Fun Factory, R$ 599) vem com um elástico de silicone que reverbera a vibração. A sensação é gostosa, mas achei delicada demais. Dá para torcer a faixa, o que muda suavemente o efeito. Pra mim, deixou a desejar na anatomia: não rolou aquele encaixe perfeito e essa saliência extra não alcançou nenhum ponto que me excitasse. Não diria que é ruim, mas não me emocionou. Recomendaria para quem gosta de estímulos mais leves. (Camila Brandalise)

  • Divulgação

    Para levar no pescoço

    O mais legal do vibrador Vesper (Miss Scarlet, R$ 720) é a discrição. Ele é um pingente, acoplado a uma corrente de aço inoxidável, que orna com qualquer look. Apesar de a vibração não ser das mais fortes, funciona bem no clitóris principalmente porque pode ser usado em público ou em lugares incomuns. É só colocar no pescoço e, quando surgir a oportunidade, brincar - sozinha ou a dois. Testei em uma festa e foi bastante divertido. (Talyta Vespa)