menu
Topo

Relacionamentos

8 lições de como não brigar como Marcos e Emilly do BBB

Reprodução/TV Globo
Marcos e Emilly têm DR no quarto azul Imagem: Reprodução/TV Globo

Thamires Andrade

Do UOL

16/03/2017 13h33

Que o relacionamento de Emilly e Marcos é complicado não é novidade para ninguém que acompanha o BBB17. Qualquer D.R. (discussão de relação) ou conversa mais séria que o casal engate acaba em briga.

Para a psicoterapeuta Maura de Albanesi, isso acontece, pois alguns casais se unem justamente pela confusão. "Algumas pessoas se unem pela luz e outras pela sombra. Elas projetam os defeitos que tem umas nas outras e não conseguem se desgrudar. Querem melhorar os defeitos do outro, mas não sabem como e, por isso, tem casal que briga sem parar e não se separa. Uma união de sombra só tem briga, tristeza e decepção", explica.

Na avaliação de Cátia Damasceno, master coach de relacionamentos e criadora do programa Mulheres Bem Resolvidas, um outro motivo da briga dos dois é a diferença de idade. "Eles têm 17 anos de diferença e é preciso jogo de cintura para lidar com isso. No reality, a convivência já é mais intensa do que fora do jogo, então, os sentimentos ficam mais à flor da pele mesmo", fala.

De qualquer forma, Maura e Cátia listam algumas das atitudes que os dois já protagonizaram na casa que são bons exemplos do que NÃO fazer na hora de discutir a relação:

  • Brigar depois de beber

    A bebida abaixa o super ego, que é o sensor que temos que diz o que é bom e produtivo falar ou não em determinados momentos. É por isso que tem gente que fica com os instintos mais ?animalescos e ferozes? depois de beber, explica Maura. Ou seja, nunca discuta nada sério depois de tomar alguns drinks, já que é preciso que o casal esteja com a mente conscientemente ativa para ponderar e dialogar.

  • Brigar na frente dos outros

    Roupa suja se lava em casa. Ao brigar na frente dos outros, parece que os dois buscam aval e querem que alguém se solidarize e tome partido. Além de parecer uma tentativa de denegrir a imagem um do outro, brigar em público faz com que as pessoas deem suas opiniões sobre as questões, o que dificilmente ajudará em algo. "As pessoas se projetam em cima dos dois e aumentam ainda mais a discussão, trazem mais problemas e não solução. Quem está de fora de um relacionamento, não vê o outro, ela se vê no outro e aí traz conteúdo da vida dela que, às vezes, para dentro da situação", explica Maura.

  • Gritar um com o outro

    Ao gritar, o par quer demonstrar força e poder pelo lado mais animal, por isso, perde toda clareza, razão e raciocínio lógico. "Essa tentativa de intimidar o outro rompe com qualquer oportunidade de diálogo e de troca. Se o outro não aceita e começa a gritar também, ficam os dois berrando e ninguém se ouvindo", fala Maura. Na opinião da psicoterapeuta, a pessoa que grita quer ocultar uma fragilidade, pois sabe que não tem razão na situação. Por isso, bateu a vontade de gritar com o parceiro? Reflita o porquê você quer que sua ideia prevaleça e deixe o outro ser livre também para escolher.

  • Achar que está sempre certo

    Também é muito irritante a pessoa que se coloca em um pedestal e acha que está sempre certa em todas as situações. ?Quem acha que está sempre certo tem o costume de ficar sempre se justificando, por isso, a dica é primeiro ouça, analise e, depois, responda. Dê espaço para o parceiro, ouça o que ele tem a dizer?, indica Cátia.

  • Fazer acusações e cobranças

    Ninguém gosta de ser acusado e cobrado. Esse comportamento gera um sentimento de estar sendo julgado. "Se a pessoa já chega acusando a outra, ela já responde na defensiva. Não dá para ter uma relação feita com base em cobrança, que as pessoas só fazem algo esperando outra coisa em troca", fala Maura.

  • Voltar aos problemas do passado

    Nunca dar o assunto por encerrado e voltar aos problemas do passado em toda briga é prejudicial para a relação. "Ambos precisam combinar que, depois de conversarem sobre determinado assunto, ele não voltará a ser tema das futuras conversas. O que passou, passou!", fala Cátia.

  • Deixar o parceiro falando sozinho

    É preciso ter o respeito em primeiro lugar sempre, por isso, Cátia indica se estiver desconfortável com a discussão, não virar as cotas para o parceiro, apenas ser sincero e pedir para conversarem sobre aquela temática em outro momento.

  • Ficar fazendo comparações

    Comparar o par com o ex ou com qualquer outra pessoa do convívio de vocês gera um sentimento de inferioridade que traz ainda mais confusão. "Não existe nada mais humilhante do que ficar sendo comparado a outra pessoa em toda oportunidade", fala Cátia.