Universa

11 perrengues que só quem tem cabelo oleoso entende

Getty Images
Coceira e e nada de banhos quentes são alguns dos problemas de quem tem fios oleosos Imagem: Getty Images

Carol Salles

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/06/2016 07h00

Você lava o cabelo de manhã e, antes que o dia termine, ele já está sujo novamente? Sente o couro cabeludo coçar insistentemente? Tem espinha na testa? Sim, seu cabelo é oleoso. E você não está sozinha. Veja a seguir alguns dos dramas mais comuns no dia a dia de quem também partilha essa característica.

  • Cabelo murcho

    Por mais que você se esforce para dar algum volume, não tem jeito: em poucos minutos, o óleo pesa e os fios "colam" na cabeça, deixando o visual totalmente escorrido. Para amenizar um pouco a situação, vale borrifar spray fixador na raiz. Mas reserve a tática para dias especiais. É que, a longo prazo, o excesso de produto pode causar um efeito conhecido como "build-up", ou seja, o acúmulo nos fios, e deixá-los mais pesados e murchos ainda.

  • Coceira na cabeça

    Você vive raspando as unhas no couro cabeludo? Isso acontece por causa da produção excessiva de óleo, que pode causar dermatite seborreica. Ou, em outras palavras, a caspa, que nada mais é do que uma descamação do couro cabeludo. Embora não haja cura, dá para tratar com xampus específicos e outras medidas que evitam a oleosidade excessiva do couro.

  • Penteado que não para

    Quem sonha com um estilo mais elaborado para aquele casamento ou mesmo um coque para prender os fios no dia a dia sabe que as presilhas, grampos e elásticos devem ser extra firmes, caso contrário, o penteado não vai parar no lugar. O motivo é um só: cabelos pesados por causa do excesso de oleosidade.

  • Testa cheia de espinhas

    Essa é comum em quem tem franja. São três os motivos: maior atividade das glândulas sebáceas na região, a oleosidade do cabelo sobre a área e, por fim, o abafamento que os fios fazem sobre a pele, que também acaba aumentando a produção de sebo. Quem não abre mão da franja pode prendê-la para cima ou para o lado quando estiver em casa e manter a região da testa limpa, com produtos adequados para a pele oleosa.

  • Não pode nem passar a mão

    É que, quando repetimos muitas vezes esse gesto, o sebo do couro cabeludo se espalha pelo comprimento dos fios, deixando-os ainda mais engordurados.

  • Controlar o condicionador

    Não tem jeito: você jamais pode exagerar na quantidade de produtos que aplica no cabelo. Isso porque o excesso de agentes hidratantes presentes em alguns cosméticos (como cremes, leave-ins e condicionadores) pioram a oleosidade. O jeito é usá-los apenas nas pontas, jamais no couro cabeludo. "Além disso, prefira fórmulas leves, como mousses ou séruns", indica o dermatologista Marcelo Bellini, professor colaborador do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo.

  • Ter que lavar o cabelo todo dia

    Você limpa os fios de manhã e à noite eles já estão sujos novamente. Por isso, a indicação correta é, sim, lavar todos os dias. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados para evitar o efeito rebote (quando o organismo começa a produzir ainda mais óleo para se proteger do ressecamento): use um xampu específico para ajudar no controle do problema e só aplique uma vez por lavagem. "Além disso, outra sugestão é usar xampus de limpeza profunda uma vez por semana", indica Marcelo Bellini.

  • Não pode tomar banho quentinho

    Não é impressão: as altas temperaturas desencadeiam ou agravam a oleosidade nos fios. Segundo os dermatologistas consultados, a temperatura ideal da água do banho é entre 26°C e 30°C. O secador também tem sua parcela de culpa. Por isso, prefira o jato de ar morno e mantenha distância do couro cabeludo.

  • Ter sempre um xampu a seco de reserva

    Esse produto ajuda bastante nas emergências. Em spray, ele atua como um talco, absorvendo a oleosidade. Borrife nos fios e em seguida escove. O cabelo ficará com aparência de limpo. Mas não adianta fazer isso todos os dias, pois o efeito será o contrário: os fios ficarão "pesados" e com aspecto sujo.

  • Não pode usar chapéus nem bonés na praia

    Estes acessórios abafam o couro cabeludo e, assim, estimulam as glândulas sebáceas. Por isso, deixe o cabelo solto ou use uma viseira, que permite que a pele respire.

  • Se preocupar o tempo todo se o cabelo está cheirando mal

    "O óleo em excesso serve de alimento para fungos e bactérias, e são esses microorganismos que causam o mau odor em algumas pessoas com cabelos oleosos", diz o dermatologista Adriano Almeida, especializado em cabelos e diretor da Sociedade Brasileira do Cabelo. Não se preocupe, pois um xampu com antifúngico pode resolver o problema.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Universa

Topo