Topo

Moda


Moda

Isabelle Drummond fala sobre referências de moda e o que leva de "Verão 90"

Ariela Bueno/Divulgação
Isabelle Drummond Imagem: Ariela Bueno/Divulgação

Mariana Gonzalez

Da Universa

2019-06-25T18:21:07

25/06/2019 18h21

Protagonista de "Verão 90", Isabelle Drummond cresceu diante das câmeras. Aos 25 anos, a atriz também é empresária -- desde 2017, tem a empresa de alimentação saudável Levê Pocket -- e está à frente da ONG 197 Casa, que ajuda comunidades carentes.

Isabelle é o rosto da campanha da nova linha de tênis da Arezzo, ZZ Fun. Com direção criativa de Giovanni Bianco, as fotos foram feitas por Mariana Maltoni no Largo do Pátio do Colégio, em São Paulo. Nos bastidores, ela conversou com Universa sobre carreira, escolhas fashion e também como encara a responsabilidade de ser uma inspiração para outras mulheres.

Você concilia as carreiras de atriz e de empresária com as atividades de sua ONG, tudo isso protagonizando a novela. Como se organiza entre tantas frentes?
Eu tenho realmente uma rotina muito intensa, mas tenho um time incrível comigo. Nunca paramos, apenas priorizamos o que for necessário. Mas durante novelas consigo desenvolver e estar presente. Mas fui aprendendo, porque gerir o tempo é algo muito importante.

Recentemente, você reviveu a Emília em "Verão 90". Qual foi a sensação? Como foi ter crescido no universo do "Sítio do Picapau Amarelo"?
Foi uma emoção enorme. Me caracterizei da antiga Emília, e isso foi algo muito bonito. Uma homenagem à história da televisão e da literatura brasileiras. E uma honra pra mim. O "Sítio" foi minha escola maior de vida.

Por falar em "Verão 90", a novela está acabando... O que você leva da Manu para a vida?
Levo a alegria, o humor e a leveza que ela tem para levar a vida, e passar pelas dificuldades. Além de que foi um exercício enorme como atriz: fazer humor em uma personagem tão expansiva e expressiva, o que é o meu oposto.

E as referências de moda da personagem, acredita que incorporou alguma no seu cotidiano?
Sim, adorei o neon, as cores. O couro foi algo que incorporei um pouco mais.

Quais são suas principais referências de moda? E por quê?
Gosto do clássico, dos estilos londrino e franceses de ser. A simplicidade é muito sofisticada, a meu ver. Gosto da alta-costura e, ao mesmo tempo, também de um linho bem leve.

Acredita que, como artista, é parte do seu papel inspirar outras mulheres? De que forma?
Sim, acredito muito no papel do artista como uma expressão da sociedade, da cultura. E gosto de pensar em como usar isso para um avanço positivo para todos nós. Sinto ser uma responsabilidade boa nossa.