menu
Topo

Beleza

Cosméticos naturais x químicos: 7 mitos e verdades sobre produtos de beleza

iStock
Imagem: iStock

Andressa Zanandrea

Da Universa

15/10/2018 04h00

A procura por cosméticos naturais -- ou pelo menos com ativos botânicos -- é uma forte tendência no mundo da beleza. Cada vez mais as pessoas procuram produtos livres de ingredientes como parabenos, óleos minerais, sulfatos, formaldeídos, oxibenzona, ftalatos e triclosan -- amplamente utilizados na indústria, mas que começam a ser deixados de lado até mesmo pelos grandes fabricantes, que vendem em perfumarias e supermercados.

O mercado global de cosméticos naturais deve chegar a US$ 22 bilhões -- o equivalente a R$ 88 bilhões -- até 2024. O crescimento, segundo a análise de da Persistence Market Research, é de 8,8% ano. A América do Norte é o maior consumidor e representa 33,5% do volume consumido.

Veja também

Mas o que atrai tantas pessoas nos cosméticos naturais? Eles são realmente eficazes? As dermatologistas Maria Bussade e Ana Cristina Martins Ferrreira, a engenheira química Lena Korres, o farmacêutico Jose Ginestar e a cosmetóloga Roseli Siqueira desvendam 7 mitos e verdades sobre esses produtos:

1. Cosméticos naturais funcionam tão bem quanto os sintéticos?

Verdade. "O que vai diferenciar é o princípio ativo que tem no cosmético. Por exemplo, a rosa mosqueta é extremamente ativa, então é um princípio ativo que é natural, o que depende é a quantidade e o veículo em que é colocado", diz a dermatologista Maria Bussade. "Também é importante ressaltar que todos os cosméticos, naturais ou sintéticos, seguem os mesmos protocolos de testes. Em outras palavras, todos os produtos passam pelos mesmos testes e os resultados clínicos são baseados em padrões idênticos", complementa a engenheira química Lena Korres, head de inovação da Korres. "Hoje falamos de produtos naturais com biotecnologia, que vão agir a nível celular, ou seja, de forma profunda. Não é um produto natural que vai agir só na superfície da pele", explica a esteticista e cosmetóloga Roseli Siqueira.

2. Cosméticos são inofensivos e nunca podem prejudicar a pele?

Mito. Os ingredientes podem causar irritações ou alergias, assim como os sintéticos. "A grande vantagem dos ingredientes naturais é a compatibilidade com a nossa pele. Por exemplo, a composição do azeite é muito semelhante à dos lipídios da pele. Os consumidores devem procurar produtos de marcas confiáveis, que sigam padrões de segurança e venham com alertas como 'dermatologicamente testados', 'oftalmologicamente testados' e 'não-comedogênicos'", diz Lena Korres. "Devemos tomar cuidado mesmo com os cosméticos naturais, pois a reação a cada tipo de substância é individual", alerta Ana Cristina Martins Ferreira, especialista em dermatologia da Mais Excelência Médica, de São Paulo.

3. Cosméticos naturais só funcionam em pele mais jovens?

Mito. "Funcionam em peles mais jovens, idosas, em qualquer idade. Geralmente eles são auxiliares em tratamentos mais agressivos. Podemos usar muitos produtos naturais à base de aloe vera, rosa mosqueta, resveratrol... pois há evidências científicas sobre sua eficiência. Os produtos naturais são adicionais nos nossos protocolos de cuidados para qualquer idade. O que depende é o princípio ativo. Existem muitos cosméticos naturais que são até mais fortes que outros que são químicos isolados", diz Maria Bussade. "Cosméticos naturais biotecnológicos funcionam para qualquer idade. Hoje, a cosmética natural está muito evoluída e os grandes laboratórios fazem muitos investimentos em produtos naturais e orgânicos para serem sintetizados", enfatiza a esteticista e cosmetóloga Roseli Siqueira. 

4. Todo cosmético natural é orgânico? 

Mito. É possível que um produto seja natural, mas não orgânico. Para ser orgânico, é preciso ter 95% de matéria-prima orgânica na composição. "A diferença é que os ingredientes orgânicos são ingredientes naturais cultivados sem pesticidas ou auxiliares sintéticos. Normalmente, os produtos naturais contêm ingredientes orgânicos", afirma Lena Korres.

5. Todo cosmético natural é vegano? 

Mito. "Existem os produtos naturais, orgânicos e veganos. Os produtos naturais e orgânicos podem ter matéria-prima de origem animal, como como cera de abelha, gordura animal, mel, colágeno etc. Os produtos veganos não utilizam de matérias-primas de origem animal em sua composição, mas podem não ser naturais e conter matéria sintética em sua composição", explica Ana Cristina Martins Ferreira.

6. Cosméticos naturais podem ser usados sem orientação médica?

Depende. "Pode ser utilizado sem orientação se forem por um período curto. Se for para fazer um tratamento por um período prolongado, como qualquer outro, pode causar alguma reação, dermatite, sensibilidade na pele...o ideal é que as pessoas sempre tenham orientação médica – principalmente quem tem a pele mais sensível", alerta Maria Bussade.

7. Fitocosméticos podem ter ingredientes sintéticos?

Verdade. "Às vezes são usadas moléculas sintéticas que são bem conhecidas na dermatologia por sua eficácia. Por exemplo, a Vitamina E, por suas propriedades antioxidantes ou a pró-vitamina B5, para hidratar e suavizar a pele e fortalecer o cabelo. Essas moléculas combinadas a ingredientes naturais, em uma combinação poderosa, oferecem uma solução global a problemas da pele", explica o farmacêutico Jose Ginestar, diretor científico mundial de Sisley Paris. "A melhor forma de saber é ler a composição", complementa a esteticista e cosmetóloga Roseli Siqueira.

Novos cosméticos nacionais que se encaixam nas categorias de naturais, orgânicos e veganos vão ser apresentados durante a Slow Market Beauty, em São Paulo, nos dias 20 e 21 de outubro. Confira alguns dos lançamentos na galeria: 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!