menu
Topo

Horóscopo


Abril de 2019: transformações sociais profundas e desafios na política

Nathan Anderson/Unsplash
Céu de abril Imagem: Nathan Anderson/Unsplash

Barbara Abramo

Da Universa, em São Paulo

2019-04-01T00:00:00

01/04/2019 00h00

O mês começa em clima de nebulosidade na comunicação, algo que já vem ocorrendo desde meados de março. Mercúrio e Netuno muito próximos, no signo das artes e da poesia, favorecem a criatividade. Porém, sinalizam pouca objetividade para lidar com assuntos práticos e concretos. Mesmo sendo um início de mês um tanto confuso na área das comunicações ou nos assuntos relativos ao planeta, abril promete alguns acertos na primeira semana. No dia 5, ocorre a Lua nova em Áries, dando início a um ciclo lunar todo voltado a ação e movimento. Já nos dias 6 e 7, podemos esperar a consolidação de acordos nas esferas públicas, com pronunciamentos e votações. Abrir caminhos novos e ousados pode ser ótima pedida para as artes, cultura e ciência. O problema acontece na área governamental, que sofrerá guinadas e oscilações nessa época.

Júpiter, o astro da expansão, da prosperidade e que representa o corpo jurídico do país, começa a retrogradar dia 10 e segue assim até 11 de agosto. Nesse movimento para trás, haverá chances de revisão e aprimoramento de leis, regras da justiça e assuntos relacionados a ela. Inclusive relações com outros países poderão ser revistas, bem como processos jurídicos. Os dias 10 e 11 serão importantes para a relação entre bancos e governo, com provável fortalecimento de ambos em torno de acordos comuns.

No dia 12, o ritmo se torna mais rápido e ágil com a Lua crescente em Câncer atraindo a atenção para questões de proteção, segurança e cuidado da população. Assuntos conectados com saúde, assistência a famílias e idosos, além de pautas dos servidores públicos, podem tensionar o aparente ambiente mais fluido em Brasília.

A partir do terceiro fim de semana de abril começa uma das temporadas mais quentes para a política nacional. O cenário astral está coalhado de aspectos, a maioria deles apontando forças que se medem, pressões de muitos lados e decisões abruptas e surpreendentes. Será um período difícil para o atual governo, e a economia também não estará ajudando muito. Em meio ao bombardeio astral, dois aspectos positivos podem equilibrar a situação -- um pouco, ao menos. Um deles tem a ver com Sol e Júpiter em harmonia entre os dias 13 e 15, anunciando pacificação nas relações diplomáticas. O outro tem a ver com Vênus e Saturno, propício às artes, mas também favorável a acordos sobre a previdência, assunto bombástico e dificultado no decorrer do mês.

Mercúrio entra em Áries no dia 17, a Lua cheia ocorre em Libra no dia 19, o Sol entra em Touro no dia 20 e Vênus, em Áries, no mesmo dia. Essa mudança astral traz uma aceleração de desafios nas áreas política e econômica, além de falta de paciência e arroubos. O Sol em Touro traz lucidez sobre o que pode ser valorizado e conservado, atraindo a atenção para economia, bens naturais, insumos, pecuária e agricultura. Um fator inesperado pode precipitar debates entre 21 e 23: tem a ver com surpresas que trazem clareza no campo econômico. Novidades tecnológicas e mudanças no panorama da educação e da mídia talvez sejam anunciadas nesses dias. Daí em diante, acordos entre as Câmaras desafiarão o governo ainda mais. Os problemas podem ter a ver com educação e companhias aéreas também. Será um momento difícil para esses setores.

Plutão entra em retrogradação no dia 24, permanecendo nesse movimento até o início de outubro. O planeta anuncia um atraso em processos de controle em todos os setores, principalmente político e econômico. Conectado com transformações sociais e culturais profundas, o astro também pode fazer com que, finalmente, as posturas autocráticas e ditatoriais recolham suas garras, ao menos por uns tempos.

Um pouco de tempo para retomar o fôlego é o que nós, brasileiros, precisamos. E é exatamente o que vem de encomenda com a Lua minguante em Aquário, no dia 26. As qualidades do diálogo e da boa convivência são ressaltadas, confrontando atitudes teimosas e conservadoras demais. A partir disso, conexões mais amplas e baseadas em ideais podem trazer ajustes na política nacional. Não é um aspecto que significa melhora na economia, mas que pode facilitar o diálogo entre governo e outros representantes.

Finalmente, nos últimos dias de abril, Mercúrio e Marte se entendem no céu, anunciando diálogo e estratégia importantes nos setores dissidentes e nas oposições ao governo federal. Saturno, porém, entra em movimento retrógrado no dia 29. O astro do planejamento, que tem a ver com hierarquias e controle estatal, conservador por natureza, sinaliza temporada de revisão em leis, burocracia, regras e mecanismos de contenção. Até meados de setembro, o planeta vai pedir mais prudência e tato em geral.

Notícias um tanto tristes podem vir à tona entre os dias 9 e 11 e também em 30 de abril. Serão como um encerramento de ciclo para alguém ou um grupo de expressão no país.

Mais Horóscopo