menu
Topo

Horóscopo


Janeiro de 2019: figuras de poder precisarão encarar demandas populares

Anders Jilden/Unsplash
Imagem: Anders Jilden/Unsplash

Barbara Abramo

Da Universa, em São Paulo

01/01/2019 00h00

Marte, o astro da coragem e da inovação, associado também a guerras e combates de todo tipo, entra em Áries, seu domicílio, no primeiro dia do ano. Neste mesmo grau, temos no nosso mapa astral do país, o planeta Plutão. Além disso, usando uma técnica de progressão astrológica, é possível perceber que ali também está a posição do Sol do Brasil. Ou seja, o mapa do país está triplamente ativado por Sol, Plutão e Marte nos primeiros graus de Áries, um signo de inícios.

É gigante a importância da chegada do planeta ao signo de Áries e tudo o que isso representa. Marte chega a Áries no mesmo dia que Jair Bolsonaro subirá a rampa para receber a faixa presidencial. Um dia cercado de simbolismos, já que o planeta também representa os militares. Além de tudo isso, o ano astrológico, que começa no outono de 2019, também será regido por Marte. 

Veja também

Portanto, janeiro começa carregado de mensagens marcianas. A disposição realista está presente com Sol e Saturno juntos em Capricórnio entre os dias 1 e 3. Ninguém pode imaginar o que não tem chance de dar certo, por isso é preciso caminhar em busca do que parece possível. No dia 3, Saturno traz medidas de contenção e rigor. Uma época terminou e outra irá começar. Já no dia 5, vem Mercúrio se juntar a Sol e Saturno, trazendo um pensamento mais prático. Prudência e senso de limite são dois temas deste início de janeiro, assim como cortes, já que Saturno e Sol podam o que não serve mais.

Também no dia 5, a Lua nova em Capricórnio acontece junto a um eclipse solar parcial não visível no Brasil. O simbolismo, porém, é o de um desmaio de certas autoridades consagradas pelo tempo. A força da tradição parece não funcionar muito bem nos dias próximos ao fenômeno: poderemos até mesmo ver mudanças nos altos escalões de empresas e a partida de figuras proeminentes no cenário político e administrativo. Entenda-se partida, aqui, em seu sentido mais amplo.

Outra novidade é que Urano, que até agora estava retrógrado em Áries, começa a se movimentar para a frente. Em março, o astro alcançará Touro, abrindo uma fase de oito anos, em que os recursos naturais receberão mais atenção da área tecnológica. Mas, por enquanto, Urano parte para sua trajetória final em Áries, signo ao qual só retornará em 80 anos. Mais um sinal de belicosidade e agressividade se impõe. Minorias étnicas e fragmentação de países ou fronteiras são assuntos em pauta até março de 2020.

No dia 7, Vênus ingressa no aventureiro Sagitário, trazendo novidades sobre acordos na justiça. De 7 a 19, uma junção de aspectos planetários movimentará a política e a economia nacionais. Bate-bocas e desavenças acontecem nos dias 7 e 8. Já no período entre 10 e 12, conglomerados comerciais e econômicos se fundem e decisões sobre pré-sal, petróleo e estradas podem ser tomadas. Júpiter e Netuno enganam com promessas grandiosas, porém falsas, e os perrengues na justiça se multiplicam entre os dias 10 e 16. Por volta do dia 13, o comércio marítimo pode nos dar uma excelente notícia. Por fim, a chance de um acordo bom para o Brasil chega entre 17 e 19.

O Sol ingressa em Aquário na manhã do dia 20 e, a partir disso, o destaque vai para a comunicação, ideais compartilhados e busca por novas tecnologias. É a força dos grupos e das pessoas que apontam a direção, e não mais a de estruturas hierárquicas rígidas. Ainda na terceira semana, eventos inesperados e declarações importantes estarão na berlinda. Mudanças econômicas podem ser anunciadas. Signo ascendente do Brasil, Aquário também destaca nossas matas, águas e costas marítimas, além de prometer ventanias.

Um eclipse lunar total visível no Brasil ocorrerá no dia 21. Eclipsada em Leão, a Lua cheia reafirma uma crise de poder, em que figuras que detêm o comando poderão ser forçadas a encarar demandas populares e de setores excluídos da maioria das decisões. Por ser um eclipse total e poderoso, prenuncia direcionamentos novos. De alguma forma, autoridades antigas serão eclipsadas da política nacional. Pode ser um primeiro teste difícil para o novo ciclo presidencial.

Os últimos dez dias do mês serão os melhores e mais fluidos para a criação de medidas e frentes que estão sensibilizadas com ideais de um mundo melhor. Entre 24 e 31, Saturno e Netuno em sintonia indicam a formação de algo que engloba ideias humanitárias mais práticas e realistas. Enquanto isso, Marte forma um trígono com Júpiter, trazendo ânimo e medidas avançadas para a justiça. Será um fim de mês em que a política e as instâncias judiciais poderão, cada uma em suas próprias frentes, avançar e ajudar o povo brasileiro.

Mais Horóscopo