menu
Topo

Horóscopo

Dezembro de 2018: fase importante na política e na economia

Kristopher Roller/Unsplash
Imagem: Kristopher Roller/Unsplash

Barbara Abramo

Da Universa, em São Paulo

01/12/2018 00h00

O ano de 2018 se encerra com dois astros fortalecidos: o planeta da esperança e da justiça, Júpiter, e o do planejamento e do tempo, Saturno. Netuno -- das fraudes e ilusões -- e Plutão -- do controle e da aniquilação -- avançam um pouco mais. O primeiro deles no artístico e sensível Peixes, o segundo no focado e realista Capricórnio. A dinâmica astral de dezembro será em volta destes quatro astros, cada semana trazendo novas facetas.

Confundir justiça com justiçamento, por exemplo, é tendência entre os dias 17 e 22. Lideranças confusas e a fim de confundir abrem o mês. A confusão e os enganos podem ser maiores ainda porque a comunicação e as decisões não estarão claras antes do dia 6. Depois disso, com Mercúrio voltando ao seu movimento direto, temas candentes podem começar a ser resolvidos, como é o caso do Mais Médicos. Mercúrio governa não somente as comunicações, mas também os médicos.

Veja também

A Lua nova em Sagitário ocorre no dia 7 e será um momento de recomeço, esperança e fé, ótimo para iniciar atividades que exijam expansão e crescimento capazes de disseminar justiça e conhecimento em alto grau. Para universidades, relações diplomáticas, turismo e assuntos ligados a energia e transportes de longa distância, um momento de atividade importante.

Movimento e novidade na cena cultural na segunda quinzena. A Lua crescente em Peixes, no dia 15, ativa as artes e os assuntos relacionados ao mar. Com a dinâmica de Marte também neste signo, anunciando empreendimentos em ambas as áreas, ficam em destaque o comércio marítimo e as pesquisas no oceano, assim como artes visuais, música, dança e, principalmente, cinema. 

Muitas promessas que estavam no ar se realizam a partir da segunda quinzena devido ao conjunto de diversos aspectos astrológicos importantes que ocorrem entre os dias 15 e 22. Será uma fase do mês para se esperar mudanças importantes, que consolidarão algumas decisões, abrindo espaço para novas alianças e consórcios. Na política e na economia, será uma fase importante para o Brasil.

Fraudes, negociações e segredos ilícitos. Dos dias 4 a 8, 24 e 25, é preciso estar ligado e antenado em setores como finanças e política e declarações de pessoas influentes e importantes. No mínimo, isso provocará confusão. São mentiras, fofocas e fake news. É bom tomar cuidado para não decidir fazer nada sério com seu dinheiro, por exemplo, nestes dias.

Tudo fica mais nítido, consequente e claro a partir da entrada do Sol em Capricórnio, no dia 21, que abre oficialmente a estação mais amada dos trópicos, o verão, que promete trazer também os resultados de escolhas passadas feitas por cada pessoa, grupo e entidades maiores. É global, é territorial, é no coração de cada um, na vidinha simples e rotineira. A conjunção entre Sol e Saturno em Capricórnio ocorre somente nos dias 1 e 2 de janeiro, mas ambos já formam esse importante aspecto a partir do Natal, marcando o fim e o início de um novo ciclo. Tanto para efeitos pessoais quanto mundanos, vale a pena anotar os acontecimentos que se iniciam nestes dias. Para quem deseja iniciar algo que exige fôlego, é importante aproveitar essa onda construtiva e estabilizadora.

Na virada do ano, Marte entra em Áries, dando um empurrão na economia brasileira baseada nos recursos naturais (minérios, petróleo e demais riquezas do subsolo). A minguante lunar em Libra, no dia 29, tinge com o gostinho de fim de festa uma época deste país. Marte irá inaugurar uma fase mais agressiva, em que pessoas conectadas com a energia marciana, ligada a combate e guerra, terão poder de ação e decisão -- devidamente calibrados por Saturno em meados de janeiro.

Mais Horóscopo